A revista IstoÉ on line estampa uma foto do ex-presidente durante comício em São Paulo, no dia 25 de janeiro deste ano, com a seguinte manchete.”Lula: “Estou com a tranquilidade dos inocentes”, e a revista atribui que essa afirmação foi feita na quinta feira 22, portanto, antes do evento público, ao agora condenado Luis Inacio.
Analisando, matutando sobre a frase e, garimpando na lembrança outras declarações já pronunciadas pelo cidadão em questão, conclue-se que ela não condiz com a realidade e por isso é falsa. Apesar de que não detenho conhecimento técnico, acadêmico, psicológico ou semelhante para prescrutar a personalidade, o carater de quem quer que seja e assim investigar, examinar rigorosamente a luz do terceiro grau.
Porém, sinto-me confortável para abordar o que aqui registrarei, pois vejo também nas redes  e no meio social, posicionamentos de quem passou pelas salas universitárias e mesmo a despeito das realidades judiciais processuais, usam e reiteram o mantra que lhes foi imposto, no caso o sem provas e que hoje substitui o anterior: no tempo do FHC...  
Por outro lado as próprias declarações públicas – “confissões” – do ex metalúrgico, dão as informações cabais para cada um concluir ser ele desconhecedor do que efetivamente é a tranquilidade dos inocentes e, além do que ele já disse, há também as passagens registradas no livro Assassinato de Reputações do Romeu Tuma Jr, tratando das informações do “Barba” para o DOPS paulista, em franca traição aos companheiros sindicalistas.
Pois então vamos relembrar algumas públicas declarações saidas da língua presa do tranquilo Lula, ao longo desses anos:
1-cometia pequenos furtos quando menino nas mercearias da cidade em que morava;
2-em entrevista la fora a gente dizia que no Brasil morria 25 milhões de crianças com fome ou esse era o nº de analfabetos e, mesmo alertado para mentira, prosseguia falando mal do País, pois era bonito e era aplaudido;
3-em palanque no Maranhão, sapecou o malho no clã Sarney, Roseanne, Lobão, enganam o maranhense e se perpetuam no poder, e portanto não eram confiáveis e razão da situação trágica daquele estado do nordeste. Mas mesmo assim se aliou a eles, e também ao Collor, de quem não livrou de seus comentários condenatorios;
4-os mimos ofertados a instituição Presidência da República, muitos foram retirados de Brasilia em algumas das 11 carretas que fizeram sua mudança ao término do 2º mandato;
5-o Sergio Cabral era o companheiro ideal e que deveria ser seguido por seus exemplos como politico...
6-a Rosemeire Noronha.... nem preciso escrever a respeito mas, apenas dizer, até a instituição família ele não respeitou;
7-A maioria de todos que com ele estiveram em palanque e que, tem ficha nos arquivos do PT, estão ou já estiveram atrás das grades, em função do mensalão e agora da Lava Jato.
Poderia prosseguir com outras realidades mas, acrescento apenas sua condenação em 2ª instancia em Curitiba e assim, creio seja possível concluir que a tranquilidade dos inocentes, seja apenas mais uma frase de efeito para os inocentes voluntários, ou o sopro na flauta para encantar os que de livre e espontânea vontade se deixam hipnotizar e por Lula serem enganados e há anos.
O ser humano é muito interessante e até o direito de se deixar ser ludibriado foi-lhe outorgado e em e no Brasil esse direito é exercido com afinco, o que fica incompreensível, por qual razão a pessoa se deixa levar pelos espertalhões da politica nacional e não só pelo “tranquilo” pernambucano mas de todas as demais siglas partidárias.
E é por isso é que dizem: só há o sabido por que há o bobo!
Lúcio Reis
Belém do Pará – Brasil em 31/03/2018. 

 
Lúcio Reis Views: 10

Código do texto: e1df420370b1bc8663a8ce8c016bfbc6                  Enviado por: Lúcio Reis em 31/03/2018

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Lúcio Reis
Belém, PA, Brasil


 Ver mais textos deste autor