O dia nasceu cinzento ...
Hoje minha janela abriu para 
um horizonte obscuro.
Em ímpeto de mudança,
tento  transformar o escuro em luz.
Viver é uma arte poderosa,
vivemos numa balança,
buscando alcançar o equilibrio.
Não entendemos ainda que a felicidade
é uma rotina diária.
Quando a rotina nos falha,
somos surpreendidos,
por caminhos diversos.
Na intuição de uma via qualquer,
podemos encontrar sonhos adormecidos,
que há muito não se despertam.
Em outra via, deparamos assustados com horas vazias e sombrias,
onde as nossas descobertas se findam,
e a tristeteza se revela.
Somos um breve sacudir de poeiras
entre a vida e a morte.
Na balança do tempo,
 apenas um leve sopro nos sustenta.
Viver ou morrer, é  fazer 
um talismã de cura, para alma.
Pássaros perdidos não temem perigos,
enfrentam  corajosamente as tormentas noturnas,
perdem  seus ninhos e suas raizes.
Eles sobrevivem a abismos ...
E nós,
o que fazemos com nossas dores???




- Helena Huback -







 
Helena Huback Views: 52

Código do texto: fffe0ba4e7f2e83d87d4a2b45e76ff22                  Enviado por: Helena Huback em 16/04/2018

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre a autora
Helena Huback
Nova Friburgo, RJ, Brasil


 Ver mais textos desta autora