Há anos que no Brasil, em todas as regiões e, principalmente nos grandes centros, ouve-se tiroteios a qualquer hora do dia e quando é no horário noturno, podemos ver os incandescentes projeteis cruzando os ares de áreas urbanas e, nesses confrontos as vezes o estado está num lado do combate e no outro o crime e em outros, nos dois lados da guerra está o crime.

Não sobra dúvidas de que guerras são travadas, não apenas na Siria, ou em outros países mundo afora mas, principalmente, para nosso pesar, aqui também e diariamente em plenas áreas urbanas e densamente habitadas. E a impunidade correndo leve e solta.

Recentemente passou-se a ouvir nos meios de comunicação a música que tem a repetição da interrogação: que tiro foi esse? Creio generalizando a origem dos muitos que são disparados Brasil afora!

Pelo que a sociedade testemunhou ontem no Supremo Tribunal Federal – STF, do seu plenário veio a resposta a pergunta repetida, cantada e que ocupa posição interessante nos veiculos de comunicação e, foi dada com dois tiros certeiros: um que acertou em cheio o desejo de prestigiar a impunidade e livrar, pelo menos até o proximo dia 4 de abril, o ex presidente Lula de passar alguns dias preso, em função dos crimes cometidos, com confirmação de sentença por colegiado e, a exemplo de vários companheiros seus no PT e de outras legendas partidárias;

O outro tiro acertou o outro alvo, o da sociedade que há anos reclama, protesta contra a impunidade, contra a lentidão da justiça que só é célere no aplicar o rigor das leis ao brasileiro pobre, preto e prostituta e, quando se trata, principalmente de politico sujo, atua como cagado até os anos condenarem os processos ao arquivamento pela prescrição de prazo e assim, o réu anda saí se vangloriando de ser inocente, pelo fato de não ter sido julgado, mesmo a despeito de que publicamente ostente, exponha o fruto de suas ações de corrupção e outros delitos.

Não resta duvida de que o STF ao tomar a decisão de não julgar por que o tempo era reduzido e alguns membros da corte já tinham inserido em sua programação do dia compromissos alheios a pauta do Poder, simplesmente disseram aos brasileiros: meus assuntos pessoais são mais relevantes do que os assuntos desta República.

Com isso o feito mostrou que no Brasil o AR15 dispara, o 38 também, a pistola .40 idem e atingem cidadãos no fisico e que estão nas redondezas na área de confronto e na maioria letal e, quando a toga também aperta o gatilho, a destruição é muito mais abrangente posto que acerta em cheio a dignidade do cidadão, provocando a hemorragia da indignação e sem dimensão.

A consequência também pode ser uma grande vaga de protestos e insatisfações que se acumulam a outras mais e que ninguem poderá prever em que vai terminar? Pois o que se pode concluir diante do que se tem lido e visto nas redes sociais é que, o tiro disparado ontem pode ter efeitos de muitos estilhaços atingindo vários alvos, pois toda paciência tem limites e a saturação com os desmandos é transbordante!

Lúcio Reis

Belém do Pará – Brasil em 23/03/2018.


 
Lúcio Reis Views: 12

Código do texto: 036dedae5c8b2ef67a40910d9a8b754e                  Enviado por: Lúcio Reis em 23/03/2018

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Lúcio Reis
Belém, PA, Brasil


 Ver mais textos deste autor