Que estranho somos enquanto pessoas componentes desta sociedade, que no resumo é e fica muito intrigante!
A brutalidade, o descontrole, o estupido ceifar vidas vem se avolumando num sistemático e diário feito há décadas e, de um modo geral cada um manteve-se silente ou não esboçou nenhuma reação, como a dizer: não foi comigo!
A Juiza Patricia Acioli, na mesma Cidade Maravilhosa, com o mesmo modus operandis, pois seu automóvel foi seguido, teve sua voz calada e sua caneta inerte e assim deixou de sentenciar o crime e por isso ele prosperou e se avolomou mais ainda.
O Celso Daniel foi transferido sem volta e até aqui muitos dos envolvidos ou arrolados nas investigações foram se juntar a ele e, sobre o esclarecimento paira sombra e nuvens indecifráveis.
A revolta neste 15 de março é muito grande por parte do povo que rapidamente foi mobilizado via redes sociais, o estado por suas vertentes e seus agentes com as estrelas de xerifes federais, estaduais e outros se unem para diligenciar, identificar, prender e punir os assassinos da vereadora carioca.
Sim, a rigor os autores diretos pelo menos, pois se sabe no mínimo são dois, posto deduz-se que o automóvel que conduzia o atirador não era manobrado com piloto ou motorista automático.
Como assistido nos noticiários a descoberta e captura dos homicidas é solução para ontem, tamanha a urgência que lhe foi atribuída e por vozes que podem assim falar e dizer, ante a repercussão.
Vimos movimentação e concentração em muitas cidades e inclusive no exterior e, é sério, oxalá as investigações avancem com celeridade e sem o jogo de empurra que normalmente acontece e que, não tenhamos que ouvir as tão manjadas declarações de negação de autoria proferidas pelos advogados contratados.  
E principalmente até, que essa captura ocorra antes que os executores do crime não sejam também executados como arquivos vivos e assim,  tornando-se mais dificil o esclarecimento e saber se porventura há mandante.
E ainda que seja breve, rápido ou urgente? Simples, já estamos na segunda quinzena de março, logo mais tem semana santa, depois vem o junho e com ele a copa em Moscou e então, toda a preocupação, clamor, solidariedade e indignação que hoje foram mostradas, serão transformadas em único sentimento: torcer pela seleção canarinho e isso, caso antes, a atenção não se concentre no dedo do pé do Neymar, sua condição de jogo e se estará formando na equipe do Tite.
É o caro leitor, pode até me condenar e discordar do meus argumentos mas, quem me lê sabe que há muito pugno para que haja ordem, respeito, disciplina e sempre disse e reitero, do jeito que tudo se encaminha no Brasil, alcançará o momento ou estágio insuportável de barbárie e o remédio será muito amargo.
E por isso, como explicar e entender que votamos pleito apos pleito em candidatos sem valor moral, sem idoneidade e tudo já comprovado e, queiramos esperar de suas ações ou atos que dignifiquem a representatividade parlamentar e portanto, sirvam de bons exemplos ao povo?
Pois sermos estranhos em nosso comportamento social, só poderá desembocar em situação semelhante a brutalidade, ou será que a violência que se vê diariamente não é o retrato, o reflexo fiel de atos de irracionalidade?
Lúcio Reis
Belém do Pará – Brasil, em 15/03/2018.

 
Lúcio Reis Views: 23

Código do texto: 7a54e75ebcb0044f64f33d83eed67c01                  Enviado por: Lúcio Reis em 15/03/2018

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Lúcio Reis
Belém, PA, Brasil


 Ver mais textos deste autor