Ontem fui mortalmente ferido, abatido,

Acordei triste, desacreditado da breve vida,

Como reles fio de descrença moído, tecido,

Vi assim os restos da alma calada, abatida.

 

O sol, outrora imponente e tão majestoso,

Imagens agora em sombras, nota dissonante.

Gritos e lampejos, âncoras do navio amistoso,

Nessa sina atroz não finda a saudade flagrante.

 

Feito lâmina afiada, sangrando meu peito,

Traduzindo as batidas daquela tal poesia

Insurgindo no corpo um sofrimento suspeito.

 

Do pranto incessante ausentou-se a aurora

E a canção de amor findou-se na vã elegia

Pondo fim aos destroços no fundo do peito.

 

(Maroel Bispo, Feira de Santana-BA)

 

 


 
Maroel Bispo Views: 12

Código do texto: 74b600b41995eef05edfd13e786a6158                  Enviado por: Maroel Bispo em 12/02/2018

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Maroel Bispo
Feira de Santana, BA, Brasil


 Ver mais textos deste autor