Hoje a saudade
invadiu o mar.
Como um nevoeiro fora da estação,
denso e ameaçador.
O mar, emudeceu,
ondas batiam na areia, e recuavam em silêncio,
pássaros e gaivotas não ousaram cantar,
nem mesmo sobrevoar sobre às águas.
A lua, preguiçosa e pensativa,
não quis iluminar o mar.
Longe, apenas o vento veio me contar,
que sofres, que sente saudades, como eu.
Nossos sonhos, agora envelhecidos,
sem que tenhamos vividos intensamente,
estão perdidos em algum lugar,
talvez nas estrelas,
em algum grão de areia,
ou na imensidão do mar.
Enfim, 
mais uma vez foram adiados.



- Helena Huback -

 
Helena Huback Views: 123

Código do texto: 38d50735bf9882be67b9b875fdfbd1fa                  Enviado por: Helena Huback em 16/04/2018

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre a autora
Helena Huback
Nova Friburgo, RJ, Brasil


 Ver mais textos desta autora