Alhos E Bugalhos

 

 

 

 

 

 

                                                                                   Laerte Antonio

 

 

 

 

 

 

 

 

                  

 

 

 

               — Já viu coisas do além?

               — Não, só o além

                    e seus aquém-fantasmas.

                    LA 99/10

 

 

 

                   Sim, o mundo é uma bola,

                   daí os nossos tombos.

                   LA 99/10

 

 

 

              — Ela topa?

              — E galopa.

 

 

 

    E a outra?

    Negocia.

LA 99/10

 

 

 

Atualizar o pensamento

tanto quanto o sentimento.

LA 99/10

 

 

 

   Uma autotraição?

   Pensar que se foi traído,

   sofrer por isso,

   e não ter sido.

   LA 99/10

 

 

 

   Perito em iquebana,

   despia-a

   igualzinho a uma banana.

   LA 99/10

 

 

  

 

                   ... e quem vê coração

   não vê cara.

   LA 99/10

 

 

 

Uma flor paleolítica —

a política.

LA 99/10

 

 

 

    Seu marido vai demorar?

     Não sei. Vou ligar pra vizinha.

LA 99/10

 

 

 

    Bom médico aquele.

    É. Dizem que já tem duas funerárias.

LA 99/10

 

 

 

                    O amor?

                    Vem depois:

                    com estratégias e jeitinhos

                    dolarizados.

                    LA 99/10                   

 

 

 

                    Duros tempos, osso duro.

                    Será um cão o futuro?

                    LA 99/10

                   

 

 

 

                    Não crê no amor a pobre Eulália.

                    E como poderá gemer

                    suas tantas delícias

                    sempre mais que irracionais?           

                    LA 99/10

 

 

 

    Verdade que ela é fiel ao marido?

    Ao marido e ao amante.

LA 99/10

 

 

 

Ninguém te conta um conto

sem esperar reconto.

LA 99/10

 

 

     

    Eustáquio, a vizinha tá te chamando.

    Já estou indo.

    Diz ao marido dela que eu preciso

que ele me conserte o criado-mudo.

LA 99/10

 

 

 

    Ela...?

    Capitaliza.

LA 99/10

 

 

 

A tarde mastiga a rosa,

a noite engole as duas.

LA 99/10

 

 

 

Quando eu a via

com meus olhos de rapaz...

Quando eu a via

menina-moça

a atravessar o Largo...

Quando eu a via

bordando no ar

e por baixo dos leves,

dos poucos panos...

Quando eu a via

cheia de graça e brisa

cruzando o Largo —

me dava um frio bom no ventre

seguido de coriza.

LA 99/10

 

 

 

      Dorotéia o adorava,

      porque ele lhe permitia

      fazer o que quisesse —

      contanto que ele não soubesse.

      LA 99/10

 

 

 

     Engraçado, o amor morreu

     e nada se perdeu.

     LA 99/10

 

 

 

— Benzinhôôô!... Você não vai comer?

— Agora não. Passei lá no André

     ( da Glorinha )

     e dei umas beliscadas.

     LA 99/10     

 

 

 

      Nem teus sonhos, nem tuas dores

      se tornem teus senhores.

      LA 99/10

 

 

 

     Ela sonhava em hebreu

     e gemia em francês.

     O marido, bom português,

     nunca, jamais percebeu.

     LA 99/10

 

 

 

     Se você quer minha opinião,

     acho que sim talvez não.

     LA 99/10

 

 

 

      Há os que andam a vida inteira

      na contramão

amaldiçoando o tráfego.

LA 99/10

 

 

 

Alô! Alôoooooo!... Foi engano.

O engano é sempre tão humano.

LA 99/10

 

 

 

    Mari-i-i-i-i...a!

    Já vou te atender, amor.

    Atender não, Maria.

Atender é linguagem de zona.

    Pois é, amor: o clima sempre ajuda.

LA 99/10

 

 

 

“PEGA LADRÃO!...”

                                        Todos tremeram.

Apenas três ladrões prenderam.

LA 99/10

 

 

 

    Ela topa?

    Só quando o marido está pescando.

    Então danou.

    Que nada. Ele só vem para o Natal.

LA 99/10

 

 

 

Ah, se você me amasse! —

dizia a coelha ao pé de alface.

LA 99/10

 

 

 

    Você já furunhou com ela?

    Com ela não, com a irmã.

    E qual a diferença: não são gêmeas?

    Isso é o que eu quero saber.

LA 99/10

 

 

 

Daqui de cima dos sessenta

o vento brilha e a rosa venta.

LA 99/10

 

 

 

    E o cara, é poliglota mesmo?

    Sim, de bruços.

LA 99/10

 

 

 

Um quase horror à honestidade.

E assim coxeia a humanidade.

LA 99/10

 

 

 

    E o vizinho nunca soube?

    Ela é que jamais soube que ele sabe.

LA 99/10

 

 

 

Há os que metem o sapato

dentro do nosso prato.

LA 99/10

 

 

 

Ele lhe “segurava as pontas”.

Mas aos sábados

pegava-a forte pelo meio.

LA 99/10

 

 

 

Este mundo é uma escola,

e não adianta usar cola.

LA 99/10

 

 

 

    Morreu de tanto?

    Nem tanto.

LA 99/10

 

 

 

    É certo que ela só o servia três vezes por ano?

    Ao marido, sim.

LA 99/10

 

 

 

Vaidades, melindres, pathos

e flatos, flatos mais flatos.

LA 99/10

 

 

 

    Comeu-a frente e verso?

    Não, só religiosamente.

LA 99/10

 

 

 

Um sabiá chuleava

a tarde que findava.

LA 99/10

 

 

 

               — Estresse, senhora, estresse.

      A senhora trabalha muito?

               — A noite inteira, doutor.

LA 99/10

 

 

 

O político disse ao povo

que adorava arroz com ovo.

LA 99/10

 

 

 

    Já esteve com a irmã dela?

    Com a irmã não, com ela e a prima.

    Qual a melhor?

    A irmã.

LA 99/10

 

 

 

O esposo a amava tanto,

que lhe dava quebranto.

LA 99/10

 

 

    Já comeu aquilo?

               — Não, fui comido

      e descomido.

      LA 99/10 

 

 

 

     As humilhações são brasas

     que se convertem em asas.

     LA 99/10

 

 

 

    Quando a mulher não quer, o que é que se faz?

    Não se faz, arranja-se já feita.

LA 99/10

 

 

 

Lá dentro da minha fé,

se não sou Deus, Deus me é.

LA 99/10

 

 

 

      O marido andava tão “enfeitado”

      que a rua inteira se sentia constrangida

      quando Pacífico passava.

      Amigos lhe perguntavam por que “aquilo”( ?! ).

      Respondia-lhes que até os reis

      gostavam de “coisas” já coisadas —

      era só folhear a história, — Pô!

      LA 99/10

 

 

 

Quem sabe todo o universo

não caberá num só verso?

LA 99/10    

 

 

 

      O padre lhe perguntou

      por que traíra o marido

      com criatura tão...”imprópria”...

      Disse-lhe que o capelão

      encontrava-se afastado

      de suas fazendas —

      estava em férias

      no Caribe.

      LA 99/10

 

 

 

     O que se vê é só um chiste

     na fachada do que existe.

     LA 99/10

 

 

 

A mulher lhe perguntara

se achava a vizinha muito bonita.

E se no dia do terrível temporal,

em que foi acudi-la,

fizera alguma coisa com ela,

naquelas quatro horas e seis minutos

em que lá ficara.

Disse-lhe que apenas se deitara com

ela para acalmá-la

e esquentá-la do calafrios...

Respondeu-lhe que agora estava descansada —

livre do tormento que a fazia pensar coisas,

isto porque ( lhe disse ) tem marmanjo

que tem coragem de broxar

com coisa alheia.

LA 99/10

 

 

 

Terá sido ela que passou,

ou foi meu sonho que acordou?

LA 99/10

 

 

 

Perguntou à mulher

se conhecera  a fundo outros homens.

Disse-lhe que  — a fundo — nunca.

         — Então por que me pede sempre para subir mais,

tocar no canto acima à esquerda —

se sabe que lá não chego?

         — Porque minha mãe me dizia que nesta hora

imaginar e fingir

valem bem mais que o tamanho:

aonde não se chega com o corpo

chega-se com a mente.

LA 99/10

 

 

 

O toque-toque do seu passo

ecoa em mim doce compasso.

LA 99/10

 

 

 

         — Ela cobra caro?

         — Só o que vale.

         — E quanto vale?

         — Ela conta os gemidos,

              os latejos e a intensidade.          

Processa no computador

e apresenta a conta.

Uma foda hi-tec.

               LA 99/10

 

 

 

               Que bom não haver siso

               no teu belo sorriso.

               LA 99/10

 

 

 

 — E aquele éden ondeante?...

               — Só investe alto.

LA 99/10

 

 

 

Que importa se é sem razão

a voz que entoa a canção?

LA 99/10

 

 

 

    O que é o orgasmo?

    Três jabuticabas prensadas.

LA 99/10

 

 

 

Melhor uma mulher na cama

que o mundo a dizer que te ama.

LA 99/10

 

 

 

    Já viu Satanás?

    Sempre que fico sem dinheiro.

LA 99/10

 

 

 

A amiga que não veio

é um depenado gorjeio.

LA 99/10

 

 

 

    Já viu o Diabo?

    Sempre que há  batidas no morro.

LA 99/10

 

 

 

Existes dentro do teu canto

tal como a voz no acalanto.

LA 99/10

 

 

 

    A onça estava sobre a rocha.

Eu, lá embaixo, a cinco metros dela.

    Você ficou com medo?

    Não, apenas preparei-me:

aguardei o pulo da bicha.

    Mas sem nenhuma arma,

nenhuma droga, nenhum álcool?

    Sem nada, a sós e a seco.

    E então?

    A bicha pulou miando e toda punhais...

    E aí?...

E aí?!...

Sim, e aí, e aí, e aí-í-í-í-í-í-í...?!

               — Desliguei a televisão.

                    LA 99/10

 

 

 

              — Paihê!

              — Fala, Carlinhos.

              — Se Deus gostasse de poesia,

                   se Deus cantasse,

                   se Deus dançasse —

                   não seria um cara sem cara

                   bem mais simpático?

   — Deus não é de brincadeira, Carlinhos! 

               — Mas se ele brincasse comigo,

                    bem que eu ia gostar, Pai!

                    Bem que me ensinaria

                    brinquedos que não são chatos.

               — Como é que sabe que não seriam chatos?

               — Você mesmo é quem disse

                    que Ele não é de brincadeira...

                    Daí deduzo que Ele brinca de verdade.

                    LA 99/10

 

 

 

                     A vida. O sonho. A amada.

                     O mais... é quase nada.

                     LA 99/10

 

 

 

    Você viu a Rosinha!?... !?

    Muito mais bonita é a mãe dela.

    Mas a mãe... não matou o pai?

    Sim, e daí?

    Mas não matou a tiros o pai?!        

 — Sim, e daí?

 — Quem é que teria coragem?...

 — O padre, o médico, o chofer da ambulância...

Quer mais, homem?

               — Chega. Eu fico com a Rosinha.

      LA 99/10

 

 

 

      Um trilo de poesia

      transforma a noite em dia.

      LA 99/10

 

 

 

    Você tem primas?

    Agora, não. No tempo certo, tive-as.

LA 99/10

 

 

 

    Já comeu atrás da horta?

    Não, fui comido.

Cada vez que lá defecava,

os mosquitos comiam-me a bunda.

LA 99/10

 

 

 

O teu facundo olhar

rimou com meu sonhar.

LA 99/10

 

 

 

    Você é do tempo do cabaço?

    Sim, mas não achei nem as sementes.

LA 99/10

 

 

 

Na vida tudo passa,

e essa é a sua graça.

LA 99/10

 

 

 

    Você já comeu poeticamente?

    Sim.

    E o que achou?

    Essa coisa é uma coisa

que vai além da coisa...

Mas há coisas piores, por ex.:

as funções dessa coisa.

      LA 99/10     

 

 

 

      O belo da existência

      é o seu ser-flatulência.

      LA 99/10

 

 

 

    Que acha da prostituta?

    Uma especialista em frentes

quentes e frias.

E, claro, não só em frentes

mas também em versos —

é a que mais acerta

em meteorologia.

      LA 99/10     

 

 

 

      Bem menos que dois flatos

      vale qualquer status.

      LA 99/10

 

 

 

    Que acha do puto?

    É o Santo do avesso —

sendo que ambos vivem

às custas um do outro.

LA 99/10

 

 

 

Sendo senhor dos teus sonhos,

verás fantasmas risonhos.

LA 99/10

 

 

 

    Já viu onça?

    Já, e das grandes.

    E aí?

    Sujei.

LA 99/10

 

 

 

Foge do amargo e do violento.

Vive em paz no teu pensamento.

LA 99/10

 

 

 

    Já trepou em cima do telhado?

    Trepei, comi, e não foi telha.

LA 99/10

 

 

 

Por um par de belas pernas troco

meu reino e meu cachorro louco.

LA 99/10

 

 

 

    Já levou chifres?

    A vida toda.

    A vida toda?!

    Sempre adorei estar casado.

LA 99/10

 

 

 

Com uma moeda ou mais um pouco

pagas o amor e guardas o troco.

LA 99/10

 

 

 

    A gente se acostuma com chifres?

    Acostumar não acostuma

      mas acaba não vendo.

      LA 99/10     

 

 

 

      Eu lhe juro que pensava

      que você não alugava.

      LA 99/10

 

 

 

    Dor de corno tem cura?

    Cura não, mas tem remédio —

na outra encarnação nascer cavalo.

LA 99/10

 

 

 

Cicio de unhas e sedas:

vento e folhas na alameda.

LA 99/10

 

 

 

    Sente dó dos cornos?

    Sinto dó de nós —

porque julgávamos

que escaparíamos.

Um dó hilário

como os bigodes

do boticário.

                     LA 99/10

 

 

 

                     Tão alto ele a sonhou,

                     que ela um dia se esborrachou.

                     LA 99/10

 

 

 

    Já andou em montaria?

    Sim.

    Comeu-a?

    Não, meus joelhos tiveram medo.

LA 99/10

 

 

A grandeza de um sorriso

vem de um momento indeciso.

LA 99/10

 

 

    Já pensou em algo que não fosse besteira?

    Sim, inclusive em nossas conversas.

LA 99/10

 

 

Esperei, e ela não veio.

Na tarde, nenhum gorjeio.

LA 99/10

 

 

    Já viu lágrimas de crocodilo?

    Por mais de vinte anos...

Lágrimas e dentes.

LA 99/10

 

 

Nossa vida era um inferno.

O mais delicioso e terno.

LA 99/10

 

 

Já defecou em pé?

    Sim.

    Que achou?

    Que eu era um gigante a jogar colunas

sobre formigas.

LA 99/10

 

 

              — Não levas nada a sério?

              — A morte é coisa séria.

                   Se lhe ergues a roupa,

                   vês que não tem nem genitália.

                   LA 99/10

 

 

Vejo no bronze um herói,

e o que há atrás do bronze dói.

LA 99/10

 

 

    Já fez amor com as fendas das paredes?

    Não. Meu pai tapava todas.

LA 99/10

 

 

Cultiva as tuas flores

e aprende com suas dores.

LA 99/10

 

 

      Pensava que o marido não soubesse.

      O dia que lhe disse que sabia,

ela não mais olhou na cara dele.

LA 99/10

 

 

Na Bolsa de te amar

invisto o meu sonhar.

LA 99/10

 

 

                 Que acha das que traem o marido?

    Teriam todo o nosso apoio,

desde que o fizessem também com a gente.

LA 99/10

 

 

Colhamos nossas dálias

antes que o tempo cale-as.

LA 99/10

 

 

    Você fala sério?

    Sério como um deputado.

LA 99/10

 

 

O amor entende mal

de emprego pronominal.

LA 99/10

 

 

    Já jogou petecas?

    Não, mas arranquei muitas penas.

LA 99/10

 

Taqui: de pensar em você

foi que fiz este buquê.

LA 99/10

 

 

    Que acha da mulher brava?

    Serve para pôr ordem na zona.

LA 99/10

 

 

Teu olhar dá para o sul

de fazer um tempo azul.

LA 99/10

 

 

    Que pensa do homem bravo?

    Bom para ir para a guerra.

LA 99/10

 

 

Tê-la ao lado é uma grande asa...

Sim: ouvi-la é estar em casa.

LA 99/10

 

 

Já nem existem cacarejos

precedendo as omeletes.

LA 99/10

 

 

A ampulheta sempre tem fome,

mas, no final, a areia a come.

LA 99/10

 

 

    Conversa de machão

resolve-se no facão?

               — Não. Na cuia de chimarrão.

LA 99/10

 

 

Hoje a classe dominante

é duplamente mastigante.

LA 99/10

 

 

Há riquezas que são mágicas

tanto quanto antropofágicas.

LA 99/10

 

Coxa grossa é coisa boa?

    Boa para o logista —

que tira a medida

e vende mais pano.

LA 99/10

 

 

Nas varandas de sonhar-te

há um poeta e sua arte.

LA 99/10

 

 

    Por que tudo o que é bom faz mal?

    Porque a gente come de se fartar

e se enfarta de comer,

e assim se morre ( gostosamente )

de viver.

LA 99/10

 

 

Belo o que não foi.

Seu não ter sido dói.

LA 99/10

 

 

    Ela sabia?

    Sabia mas se deliciava

fingindo não saber.

    E o que lucrou com isso?

    Sua paciência dolarizou-se.

LA 99/10

 

 

Sob a lâmina da tarde

tomba a rosa sem alarde.

LA 99/10

 

 

— Verdade que eles faziam amor

em cima da torre da igreja?

    Mentiras, fricotes do sacristão

que apenas segurava as telhas

pra não cair na cabeça dos outros.

LA 99/10

 

 

Lá em alma-coração

floresça a gratidão.

LA 99/10

 

Confiança, amor, confiança

na sua mulherzinha!

    Claro, amorzão, mas gasta pouco,

que sempre que (com)fio —

tu te embaraças, te enredas —

e toca-me pagar a fiança.

      LA 99/10

 

 

      O mundo em seu furor

      pode abater a nossa flor?

      LA 99/10

 

 

 

     Não raramente, política

     tem a safadeza enclítica —

     ações seguidas de me.

     LA 99/10

 

 

 

      As mandíbulas da ambição

      têm a fome de um cão.

      LA 99/10

 

 

 

    Você já cantou aquele “avião”?

    Nos dois ouvidos.

    E então?

    Me disse que o marido é bom piloto

e não gosta de musse.

LA 99/10

 

 

 

Foca-te num sonho imortal,

e andarás sobre as águas

desta hora torrencial.

LA 99/10

 

 

 

    Que diz do prefeito cassado?

    Pena que não foi a tiros.

LA 99/10

 

 

 

Se o seu coração arrazoa

e o seu pensamento sente —

você é uma bela pessoa.

LA 99/10

 

 

 

    Que é que é bom para dor de barriga?

    Fazer amor à primeira cantada do galo.

LA 99/10

 

 

 

Camisinha? Com certeza!

É o amor à milanesa.

LA 99/10

 

 

 

    Que é que é bom pra amaciar xota encruada?

    Visitar preso há um ano sem visita.

LA 99/10

 

 

 

Meu coração, sem juízo,

não esquece o seu sorriso.

LA 99/10

 

 

 

O histórico de sua xoxota

      era um mar de recordações.

      LA 99/10

 

 

 

              Fale assim doce, docemente,

              porém, mais alto, senão

              como ouvir o que você mente?

              LA 99/10

 

 

 

      Conseguiu comê-la na ponta do poste

      graças à solidariedade de amigos

      que ajudaram com escadas e andaimes.

      LA 99/10     

 

 

 

      A mulher fala pelas pernas

      suas conversas (e)ternas.

      LA 99/10

 

 

 

      Disse à mulher que não mais a amava.

      Ela riu tanto,

      que ele ficou sem graça.

      LA 99/10

 

 

 

      Enfim, a tranqüilidade!

      Já não te peço a verdade.

      LA 99/10

 

 

 

      Só se deitava com mulheres inteligentes.

      Acabou pedindo esmola na porta da igreja.

      LA 99/10

 

 

 

      Mentiu-lhe tanto, mas tanto,

      que, hoje, se diz a verdade,

      lhe causa tristeza e espanto.

      LA 99/10

 

 

 

      Dei minha capa e o guarda-chuva:

      faz sempre tempo bom no teu olhar.

      LA 99/10

 

 

 

      Disse à mulher: Vou até ali, amor,

      tomar uma branquinha, e volto já.

      Não voltou.

      A mulher foi até a zona ( única

      na cidadela )

      e o trouxe debaixo de pescoções.

      Atribuiu-lhe os serviços domésticos todos,

      sem direito sequer a espiar para fora —

      durante dois anos, dois meses e vinte e dois dias.

      Acabou dando um bom marido.

      LA 99/10

 

 

 

      Lá dos lados de eu te sonhar

      faz verões de bronzear.

      LA 99/10

 

 

 

      Pegou a mulher transando com o vizinho

      sobre o velho muro de taipa

      ( relíquia tombada pelo município ) —

      e correu lá pedindo que encarecidamente

      fossem bem devagar ( e segurava o muro...)

      para que não derrubassem aquela preciosidade.

      LA 99/10

 

 

 

      Triste é quando dizer ou não dizer

      já não faz mais valer nem desvaler.

      LA 99/10

 

 

 

      Sua xiranha

      sempre teve um histórico

      ativo e solidário —

      abrigara e agasalhara

      inúmeros sem-teto.

      LA 99/10

 

 

 

      Tudo passa como um rio,

      e enquanto passa, rio.

      LA 99/10

 

 

 

    Papai, por que amores torrenciais?

    Porque escorrem por vales e colinas.

LA 99/10

 

 

 

 

Entre a lágrima e o riso,

pode estar um sorriso.

LA 99/10

 

 

 

Papai, o que é gente boa?

    Aquela que acumula o que é de todos

e ainda recebe palmas e comendas.

               — Credo, André, que dissolvência!

               — Calma, Marilda! Quem pergunta

                    é formada em sociologia,

                    tem trinta anos, dois filhos,

bom emprego e é bem casada.

LA 99/10

 

 

 

Frágil a liberdade,

e a beleza e a verdade.

LA 99/10

 

 

 

A Arte?

Um modo de entrar

ou de fazer

entrar em transe.

LA 99/10

 

 

 

Intocável a liberdade,

e a beleza e a verdade.

LA 99/10

 

 

 

    Qual a saída para a crise?

    Deixar de fabricá-la.

LA 99/10

 

 

 

É bela a liberdade,

e o amor e a honestidade.

LA 99/10

 

 

 

               — Por que em geral os políticos

adoram obras faraônicas?

               — Sei não. Você sabe?

LA 99/10

 

 

 

Viver é sempre um duro ofício:

supõe constante sacrifício.

LA 99/10

 

 

 

    Qual a melhor mulher?

    A companheira.

LA 99/10

 

 

 

               — Onde começa o mito?

               — Lá no fim do infinito.

                    LA 99/19

 

 

 

    O amor existe?

    Tão certo como os diamantes.

LA 99/10

 

 

 

Ela olhou para mim

e sorriu a jasmim.

LA 99/10

 

 

  

      Aquiete-se, e espere.

      A vida cuida

      de vergar o arrogante.

      LA 99/10

 

 

 

    Mantém o peito quente

    de uma esperança vivente.

    LA 99/10

 

 

 

     Nem alhos nem bugalhos —

     afirmava Marilda.

     Os homens? São insossos,

     insípidos —

     verdadeiras fábricas de cola...

     Mas são úteis,

     quando bem amestrados,

     são as nossas delícias —

     falava com os olhos

     dentro dos olhos da irmã caçula

     ( linda! linda de orvalhar )

     que a escutava passivamente

     ajeitando um sorriso

     terrivelmente prudente —

     até porque lhe havia roubado o marido

     ( dela, da primogênita )

     fazia mais de dez anos.

     LA 99/10    

 

 

 

     Um coração expectante

     já são mil passos adiante.

     LA 99/10

 

 

 

      Dissera à mãe que prendera

      o noivo pelo estômago.

      Respondeu-lhe que — de fato —

      xiranha é farta em sinônimos.

      LA 99/10

 

 

 

      Tua lembrança me invade,

      teimosa saudade.

      LA 99/10

 

 

 

     Os peitos da rapariga

     eram dois mamõezinhos

     ainda um tanto verdes,

     mas já rodeados de sanhaços.

     LA 99/10

 

 

 

     Que bom, que belo

        te ver em pêlo!

 

 

 

     Mediunizado

     pelo teu charme,

     o que fazer

     senão pentear orgasmos?

     LA 99/10

 

 

 

     Dentro e fora, a toda a voz,

     a vida chama por nós.

     LA 99/10

 

 

 

     Nem Xantipa jamais soubera

     o que Sócrates dizia

     atrás do ouvido de Alcibíades.

     Só sabia que o marido

     era feio

     como não ter comida em casa,

     e que esse moço era um efebo.

     LA 99/10   

 

 

 

     Entre a penumbra e o lençol,

     foste o meu vale de Escol.

     LA 99/10

 

 

     Até até. Quem sabe,

     numa das voltas do mundo,

     a gente não poderá

     fazer transar nossos sonhos?

     LA 99/10

 

 

 

     Mais vale um bubum na mão

     que mil na televisão.

     LA 99/10

 

 

 

     Me lembro que chovia...

     Sagitei o pensamento,

     que sibilou...

                                — espetei-A

na parede da cozinha.

      LA 99/10

 

 

 

     A aids tá sempre por aí, maluca.

     Urge saber usar peruca.

     LA 99/10

 

 

 

     Quando a via

     entrava em transe —

     mediunizava orgasmos.

     LA 99/10

 

 

 

     Um jasmineiro em flor, um buquê.

     Só o marido não vê.

     LA 99/10

 

 

 

— O que o senhor deseja?

— O básico, senhora.

     LA 99/10

 

 

 

     O que a escuridão inundou

     o teu olhar iluminou.

     LA 99/10

 

 

 

     A mãe a aconselhava:

     Mulher que é sábia

     guarda a sabiá

     pra gaiola ( sem porta )

     que valha cada pena.

     LA 99/10

 

 

 

     Quem diria que aquele amor do campo

     fosse morrer de sarampo?!

     LA 99/10

 

            

 

    Ela...?

    Vende.

LA 99/10

 

 

       

    Por aqui vai pra lá?

    Pra lá e pra cá.

LA 99/10

 

 

 

      Melhor que chupar manga

      só mesmo uma xandanga

      a trejeitar

      pra fora de uma tanga.

      LA 99/10

 

 

    

      O que vi, vi.

      O que não vi

       como vi-

       ver?

      LA 99/10

  

 

     

      Escolhemos.

      E quando vamos viver,

      vemos que falta

      felicidade.

      Mas nem por isso, nem por isso...

     A gente inventa tantas delícias

     de escorrer pelos dedos.

      LA 99/10

 

 

 

      O tempo urge.

      Urge lazer

      e muita flexão.

      LA 99/10

 

 

 

      Bom é contar com você

      para um café com pavê.

      LA 99/10

 

 

 

      Sempre que a angústia for muita,

      lembre-se: calma.

      Sem querer a gente acerta.

      Um pouco a gente faz,

      outro a vida nos traz

      enquanto nós dormimos

      ou nos coçamos.

      O mais...

      Precisa mais?

      LA 99/10

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

             

 

 

 



 
Laerte Antônio Views: 60

Código do texto: dcc51ad12e909430d263ac93f683a175                  Enviado por: Laerte Antônio em 02/10/2017

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2017 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Laerte Antônio
Casa Branca, SP, Brasil


 Ver mais textos deste autor