Como é sabido de todos, a cada ano várias cabeças iluminadas, dos mais diversos países são laureadas por um dos premios nobel nas suas várias categorias e, em função da ação de cada um ou grupo de seres que se empenham em estudos, pesquisas anos e mais anos e como resultado de seus estudos ou iniciativas, fizeram descobertas benéficas ou atuaram em prol de bem comum, da paz, em fim do bem para todos indistintamente.

E assim, há o Nobel da Literatura, da Ciência e nesta, em algumas de suas ramificações, como a descoberta de uma vacina, da cura para um pernicioso mal e etc...

O interessante que se observa, é que no resultado prático do trabalho de alguns laureados,  a humanidade vê, sente e constata no dia a dia o resultado benéfico, como por exemplo, da vacina para evitar a poliomielite e, de uma maneira bem especial também, o avanço das técnicas no campo das cirurgias cardios vasculares, tal como o implante de proteses valvares e, neste ítem este autor é prova viva desse procedimento, posto que há mais de 18 anos foi-nos implantado uma protese de valvula aortica.

Mas, pode-se lembrar que milhares de centenas de individuos, hoje tem condição de vida normal e conduzem vivem em seu organismo com órgão doado por alguem, tal como figado, rim, coração e etc...

Seria muitíssimo bom e louvável que todos os premios nobel, tivessem como resultado o útil e positivo que se constata na medicina mas, há um que tristemente a realidade não concretiza seu efeito benefico que amplamente deveria ser. Pode-se apenas dizer, por dedução que, talvez a realidade fosse mais cruel, muito mais peversa e triste do que já é, caso não houvesse sido instituido o Premio Nobel da Paz.

Pode soar ignorante ou sem noção o que disse acima mas, o fiz ante a realidade do dia a dia atual, aqui em nosso País e mundo afora.

A violência é uma constante e crescente realidade. A Coreia do Norte, por exemplo, a cada dia, por seu todo poderoso Kim Jong, brinca de festa junina lançando no ar um missil de longo alcança e nessa estrepolia fustiga o Tio Sam e o seu não menos destemperado morador da Casa Branca, o qual por sua vez, também é adepto de mostrar e demonstrar supremacia bélica e disposição para invadir o quintal do vizinho ou intrometer-se em assuntos politicos de outras nações.

A natureza por sua vez, parece alertar ou como que pretendesse mostrar como é fácil devastar algum território e aniquilar centenas de vidas e apenas dá uma arrumação no planeta e, como um brinquedo quebra toda uma cidade, como o foi recente no México e, por certo, assim será também ou pior a devastação que o homem causará ao mundo, caso resolva brincar de guerrinha e acender o pávio ou apertar o disparo de um desses brinquedinhos de destruição de massas, de espaços territorias, da atmosfera e da vida no planeta.

Os fatos decorrentes ou recorrentes, até dão-nos a entender ser uma guerra de contradições, pois enquanto alguns avançam nos métodos para salvar, melhorar a condição do viver e aumentar a longevidade, uns outros atuam para construir a destruição  em massa e semear a dor.

Mas o que há de real é que estejamos alertas, pois são os ditos seres racionais que tem a capacidade para “acender estopim” e pressionar botões e não os ditos irracionais, pois entre estes prevalece a paz, mesmo sem que qualquer um tenha seu indiscutível Nobel.

Lúcio Reis   

Em 28/09/17


 
Lúcio Reis Views: 27

Código do texto: b7b91467f881d281ac626fa34d39f5f3                  Enviado por: Lúcio Reis em 28/09/2017

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2017 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Lúcio Reis
Belém, PA, Brasil


 Ver mais textos deste autor