Eximiamente

 

Marilda? Era exímia:

idônea,

corpórea,

profissional.

 

Jamais manchava o belo da hora

com palavras e jeitos que não fossem

magistralmente afrodisíacos.

Sim, nunca que se perdia

entre as disputas e mágoas

dos dois gêneros.

 

Seus saltos espicaçavam os desejos

dos que a comiam com os olhos.

 

Dava ao sexo

um tratamento constelado:

sabia coroá-lo

de uma beleza justa.

 

Seus honorários

nunca foram modestos,

mas fazia chover gostoso:

aquela chuva macia

que sussurra constante

e vai enchendo a represa.

LA

 

 



 
Laerte Antônio Views: 77

Código do texto: 2bc8bf309f3eba7009c4afc3a1c7eb18                  Enviado por: Laerte Antônio em 17/09/2017

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2017 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Laerte Antônio
Casa Branca, SP, Brasil


 Ver mais textos deste autor