PURO MAQUIAVELISMO (II)

Ary Franco (O Poeta Descalço)

 

            Vejo amiúde Cidadãos Brasileiros (autênticos) manifestarem seu justo desespero com o rumo acelerado com que o atual governo caminha abertamente ao encontro do regime socialista (leia-se comunista) e ameaça destruir a liberdade de que usufruímos na Democracia. Reclamam em altos brados que nada é feito, NINGUÉM FAZ NADA!

            Na qualidade de um orgulhoso cidadão comum da “odiada” Classe Média, observo com a equidade que inda me é facultada “o porquê” de, aparentemente,  NADA ESTAR SENDO FEITO. O partido político ora dominante sabe que poderá provocar/desafiar a todos e que esses todos provocados/desafiados, AGORA, nada poderão fazer. Pensem bem: estamos com a nossa casa cheia de visitas estrangeiras que aqui vieram para assistir essa inoportuna (fora de hora) Copa do Mundo. Nossas gloriosas Forças Armadas só poderão FAZER ALGO após os visitantes retornarem às suas nações de origem.

            Portanto, permaneçamos calmos, aguardemos que a hora deverá chegar e o “modus operandi” dependerá de nossa seleção sagrar-se campeã ou for derrotada. Na primeira hipótese uma intervenção militar teria um pouco mais de trabalho, na segunda, a “faxina” seria feita mais facilmente com a ajuda de todos os cidadãos de bem, patriotas, Brasileiros de Puro Sangue, coesos na justa causa de lutar pela manutenção de seus inalienáveis direitos E por falar em sangue, não pensem que ele não manchará o nosso solo na resistência que deverá ser encontrada por aqueles que NÃO PODEM, NÃO QUEREM ABRIR MÃO DO PODER. Nenhum deles quer ser julgado, caso não consiga evadir-se a tempo para algum dos países que admira (Cuba, Bolívia ou Venezuela).

            NO MOMENTO os “lesa-pátria” estão escudados pelos nossos irmãos visitantes e, aproveitando-se disso, muitas aberrações das mais abomináveis ainda cometerão impunemente. Talvez até, inicialmente, baseados nesse “handicap”, tenham pensado nos bastidores em dar um golpe traumático e definitivo durante a realização da Copa,  MAS diante das manifestações hostis do povão durante os jogos, recuaram e passaram a somente tirar o máximo proveito da situação.

            Mantenhamos a calma e aguardemos os “dias de chumbo” pelos quais evidentemente deveremos passar para, mais adiante, retomarmos ao regime democrático de nossa amada pátria idolatrada, abrigada por este céu azul em que brilha o nosso celeste Cruzeiro do Sul!

-X-X-X-

Para quem ainda não sabe, sou um aposentado ganhando quatro salários mínimos e que recebia 9.8 salários por ocasião de minha aposentadoria. Gasto mais da metade do que recebo para pagar um plano de saúde e sobrevivo graças à ajuda dos filhos e netos.

Perdi meu pai em um hospital público por falta de assistência médica, jogado no leito nº 10 de uma enfermaria, com fratura do fêmur e infecção urinária. Não tinha plano de saúde e eu não podia pagar um hospital particular para ele. Aqueles que vivem às custas de nossos impostos, procuram o Sírio Libanês...

-X-X-X-

MINHAS ARMAS: MEU VOTO E MINHA CANETA



 
Ary Franco (O Poeta Descalço) Views: 798

Código do texto: 38d5c243ee7df51e093c2bad9d96d53f                  Enviado por: Ary Franco (O Poeta Descalço) em 01/07/2014

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Ary Franco (O Poeta Descalço)
Miguel Pereira, RJ, Brasil


 Ver mais textos deste autor