Considerável parcela de nossa sociedade, a rigor e tendo em consideração o farto noticiário, não apenas através dos veículos tradicionais de comunicação mas também, por meio das redes sociais que levam às telas dos aparelhos pessoais os fatos dignos de aplausos mas também, aqueles que agridem frontalmente a moral, a ética os princípios sociais de legalidade e até mesmo os perpetrados com requintes animalescos de crueldade e qualificados como hediondos e, nessa conjuntura, óbvio os deslizes políticos nos poderes republicanos também nos são informados em cima da hora e por ssio mesmo, não podemos alegar que os ignoramos.

Tomando como referência os atropelos praticados pela representação eletiva via urna de nossa sociedade e, o espirito de corpo criado, costurado e até "comprado" para barrar e de verdade obstar o prosseguimento de investigação de autoridades nacionais, da-nos o entendimento conclusivo de que a cada momento é cavado mais alguns metros na sepultura que receberá os restos mortais de uma, outrora radiante e esperançosa República das Terras das Palmeiras em cujos galhos cantava o sabiá e hoje, foram substituídos por abutres que dançam em torno da carniça do que ontem foi uma grande e prospera Nação, e que vislumbrava um futuro rico para todos.

Dirão que assim foi feito por que dessa maneira reza a Constituição. Porém em momento algum a Lei Maior prega que o sujo pode condenar ou absolver e até mesmo evitar que o mal lavado seja investigado.

Diz a regra que o poder será exercido por quem tem conduta ilibada, o que é lógico e legal. É se assim não o fosse, seria possível colocar sob a decisão de alguns presidiários o despacho de absolvição ou permanecer a condenação de apegados do sistema carcerário nacional.

Creio que não seja difícil concluir que a permanecer nessa toada que se tem, mesmo com a desculpa de que a economia está sendo recuperada e a politica e os políticos indignos não devem ser tocados, que a Nação vai pagar um custo muito caro, pois como crer que de uma hora para outra, quem sempre olhou para seus bolsos e conta corrente bancária aqui e em paraísos fiscais, ao longo de décadas militando nos poderes republicanos, de uma hora para outra vestiram asas brancas e se tornaram pombinhas da paz e a luz intensa do crescimento, da prosperidade e criação de milhões de postos de emprego e renda.

Hoje é domingo mas ainda não é 25 de dezembro e nem o papai noel é brasileiro para ter em seu saco esse grande presente ou milagre.

Lúcio Reis

Belém, Pará, Brasil

06/08/2017

 

 

 


 
Lúcio Reis Views: 28

Código do texto: 9eeb86010f667f1311277adedba0c99b                  Enviado por: Lúcio Reis em 06/08/2017

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2017 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Lúcio Reis
Belém, PA, Brasil


 Ver mais textos deste autor