Sorrisos de boa vontade, corações cheios de mansidão e registros de boas festas, e principalmente feliz natal, inundam as redes sociais e tomaram conta ou substituíram os antigos cartões que abarrotavam os clichês do correio e, dispensaram significativamente a mão de obra do carteiro, colocando no ar um clima de real entendimento e confraternização fraterna.

Mas, convenhamos e vamos fazer uma pequena pausa, apoiar o queixo nos dedos, olhar para o nada e de primeira perguntar: será mesmo feliz natal? Será mesmo que o espirito natalino, de igualdade e de fraternidade cristã impera entre os seres humanos? Será mesmo que há razão para festejar o respeito entre os humanos e respectivos povos?

Desculpem-me parecer injetar um pouco de fel, na doçura da época e no sentimento que envolve muitos e assim, o que se percebe nos é dado parecer e entender que o amor e a união não eliminaram o espaço para o crime, para a brutal covardia e nem fizeram descer de seus pedestais os mal feitores desta república e de tantos outros em cada ponto deste planeta.

Por isso, faço apenas uma observação, ao tomar ciência, como o mundo todo testemunhou, quando uns tresloucados agem e agiram contra indefesos inocentes que não lhes provocaram nenhuma agressão e, em ações covardes e sem nenhum aviso prévio, foram apanhados pelo fator surpresa e assim foram retirados na vida, não num campo de batalhas, mas em via pública e em horas de lazer e portanto, inocentes, como o ocorrido em Nice e agora em Berlim e outros mais, quando um ente que não se tem meios de adjetivar, joga contra pacatas pessoas, independente da idade, caminhões e lhes corta o oxigênio do viver.

E então ou até por isso é que se tem em mente um punhado de interrogações, pois enquanto milhares estão se abraçando e confraternizando na fé cristã, uns poucos estão empunhando armas de fogo ou até mesmo veículos pesados, causando choro e dor em milhões de lares, e sem que as vitimas lhes tivessem ferido e mesmo assim, não dispuseram de condições de auto defesa.

Alguem poderia questionar-me ainda: mas o momento é época para essa reflexão? E com todo respeito, diria: qualquer época ou dia é, pois os fatos estão aí e são concretizados em qualquer estação, pois o desamor, a incompreensão e nem sei dizer que tipo de entendimento ocupa a mente desses humanos, posto que, como mostrado, o cidadão saca a pistola e pelas costas e a sangue frio fuzila o governante que discursava.

Comparativamente com nosso Brasil, é que aqui, as ações criminosas não cessam e, pelo  o publicado na imprensa, não são caminhões de desgraças que são usados contra o povo mas sim, para transportar os milhões retirados ilicitamente do erário, nas mais diversas ações de corrupção.

Aqui não são só os pneus de caminhões que matam o cidadão no trânsito violento mas sim, a corrupção enraizada nos órgãos públicos e que, deixa o povo sem educação, segurança, saúde e condições digna de viver.

Soluções existem? Existem sim pelo menos para nós, pois para o mundo la fora contra os extremistas não sei! Mas por aqui, basta o povo tomar vergonha na cara e deixar de reeleger os viciados em erário e que fizeram da politica o meio fácil e lucrativo de se dar bem, aliás muito bem e se tornaram experts em enganar o eleitor.

Mas, apesar de tudo, que a energia positiva do Feliz Natal paire no ar e amenize as lágrimas que invadiram os lares de muitas famílias.

Lúcio Reis

Belém, Pa. Brasil

Em 23/12/2016.


 
Lúcio Reis Views: 236

Código do texto: d720fa7b8f9015af93728637801f2b12                  Enviado por: Lúcio Reis em 23/12/2016

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Lúcio Reis
Belém, PA, Brasil


 Ver mais textos deste autor