Caro leitor, inicialmente ocorreu-me a idéia de escrever usando como fundo de pano um jogo de futebol mas, os personagens reais de nossa politica e que, aparecem na midia com seus pseudônimos e constam numa relação de um dos diretores da Odebrecht em delação premiada, veio ao conhecimento público e que, nesse primeiro momento são 35 e por isso, mudei para o tema com o titulo acima, imaginando que nesse momento, ante o que a sociedade já tem ciencia e pelos desdobramentos da Lava Jato, eles, no subconsciente estejam apelando para todos os cipós que lhes possam dar sustentação para não caírem no precipio da condenação judicial   e passarem uma temporada em Curitiba.

Os termos sublinhados são os apelidos de políticos e cujos nomes verdadeiros, omitirei mas, os mesmos estão a disposição da sociedade na midia. E assim, tem-se no Brasil dois congressos: um que saiu das urnas e outra formado nas urnas da corrupção ativa e passiva entre agentes públicos e quem mantem relações funcionais com os poderes republicanos.

“Reunidos de mãos dadas  mas, cabeças empinadas e mostrando ao sol as caras de pau brilhando e bem benzutadas de óleo de peroba, formando um grande círculo de corrupção em suas várias vertentes, seus membros ilustres e sem nenhum resquício de humildade mas sim, como que se fossem os mais sérios e de condutas ilibadas, elevam os olhos para o alto e rezam, confiantes que o rei das trevas da impunidade, a quem se curvam diariamente e rogam proteção ininterrupta para suas falcatruas e assim, sob  a orientação de um dos obreiros do mal feito, iniciam mais um encontro de sacrilégio para os bons costumes  e, na tentativa de não verem seus rabos arderem sob a futura condenação:

- Boca Mole, pega o microfone e solenemente se dirige ao caríssimo Diplomata em nome dos demais e diz: em nome da falcutrua, do desvio e de corrupção amem, aqui estamos em forte união à celebrar a Missa da nossa particular Justiça para que todos conseguiam sair impunes mais uma vez, desde sua excelência o prezado Indio até o Primo, mesmo que algum tenha conseguido se mudar para alem do Polo e que todos não saibam ou venham a saber o que é fazer côco de cócoras numa cadeia da federal, principalmente o Jovem, que ainda nem sentiu o guidon ou a velocidade de um Ferrari e nem tampouco sabe o que é namorar ou ter um  caso com uma bela ou  uma Feia, mas em única voz, rogamos que não nos falte Caranguejo para um tira gosto e nem mesmo uma batida de Caju com uma caninha 51, para então lépidos e tranquilos em alegria com ou não guarda napos na cabeça, possamos em Las Vegas ou até mesmo em Brasilia ou em qualquer biboca do País, vestidos de Kimono, saboreando também ou, até mesmo um gelado Campari com limão, na companhia daquele maluco Velhinho e quem sabe mesmo, apreciando e contando as vacas do Fazendeiro, ainda tenhamos muitos momentos de Moleza, com queijos e coalhadas antes, muito antes que fiquemos Decrépito e não possamos ter como Goleiro alguém de qualquer timeco da varzea,sem um juizeco a mediar a pelada, ou quem sabe até do Botafogo, que segundo consta tem agora como mascote um Angorá de pelo bembranquinho como neve e que o torna diferenciado, e tudo isso sem levar em conta ainda, que podemos alcançar o estágio em que nos faltará Misericordia e então, nem a Tuca, nem o nosso famoso Médico ou aquele Comuna, conseguirão nos safar ou salvar e, como não somos Corredor e nem tampouco sala ou cozinha, podemos terminar num pavilhão e vamos ter que apelar para o Candoblé e então só nos restará colocar o Todo Feio junto com o Cunhado, a escreverem mentiras em nossas defesas, em sentenças gramaticais que configurem uma verdadeira torre de Babel, a qual será erguida no Cerrado ou na planalto central e possivelmente em Curitiba e, como penitencia de joelhos iremos colher Piqui e assim de ante mão já saberemos que muitos ou todos vão bater o Pino, ficarão Gripado e por isso,antevemos que todos vão sofrer de Bitelo (mal ainda não catalogado pela medicina), mesmo o Gremista e, até mesmo o Educador, quando o carcereiro abrir acela nos mandar nela entrar

Por isso tudo e como há um Moro, ou melhor um Muro sem lamentações no meio da estrada, acho que todos vão plantar e cantar batata na roça, la em Curitiba.

E assim o Boca Mole pode falar a vontade que apenas ficará mais Boca Mole. E a sociedade ainda cantará a vitoria do bem contra o mal!

Lúcio Reis

Belém do Pará-Brasil

Em 16/12/2016


 
Lúcio Reis Views: 195

Código do texto: bbfa661f124c7b3c093a41dc3ec6570b                  Enviado por: Lúcio Reis em 16/12/2016

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Lúcio Reis
Belém, PA, Brasil


 Ver mais textos deste autor