É relevante que hoje se construa está crônica e, encimando-a com o título já usado e, mas em outras circunstancias da vida republicana, posto que a ouvimos diariamente reiteradas e insistentemente antes do apeamento do poder da até então Presidente Dilma do PT.

No entanto,os petistas e demais aliados tal como o PSOL, PCDB e etc…, apenas visavam a manutenção da sigla no topo do poder republicano e em função de um projeto de poder e dessa forma só olhavam para seus umbigos.

Hoje, decorridos alguns meses sob a administração Temer do PMDB e pelos fatos protagonizados por quem ele chamou, convidou para estar ao seu lado na governança do Brasil, podemos afirmar que houve sim golpe! Lamentavelmente.

Porém,não foi ou é um golpe contra as siglas que o atual governo substituiu mas sim, contra a sociedade brasileira, como um todo.

Hoje é possível dizer que, de certa forma foi trocado, como é dito popularmente, seis por meia dúzia, pois aí está com todas as letras a comprovação da assertiva acima, a saída do Ministro da Cultura Marcelo Calero, explicando e justificando como origem de sua entrega do cargo, as trativas que houveram no dialogo com o Ministro Geddel Vieira Lima, intercendendo, mesmo que sutilmente ou não, ao descumprimento de regras legais em beneficio próprio e de meia dúzia de adquirentes de aptos em seu estado, em detrimento da sociedade baiana, tendo como pomo empreendimento imobiliário e, portanto comercial e que sequer tem co relação com sua pasta e com o interesse da administração federal em Brasilia. Ou seja: consegue-se, salvo melhor juízo, constatar ou interpretar como prática de tráfico de influência.

Por sorte, bateu de frente com um cidadão que não se deixou picar pelo mosquito que entorta personalidades e que reagiu a altura e colocou a mostra que nos escaninhos do poder ainda nada mudou. E assim pulou do barco.Aplausos ao Sr Marcelo Calero.

E por isso, mais esse episodio leva a sociedade a não depositar confiança no Presidente Temer, pois ele é responsável por sua equipe e a essa altura, já era para ter convidado o Ministro a voltar para Salvador e tentar salvar o amanhã de sua governança, posto que  em sua equipe há colaboradores com manchas que nos levam a concluir que tudo permaneceu como antes: saíram alguns imundos e entraram outros sujos.

A Presidente Dilma não dizia sentença gramatical que  nos desse condições de entender o que ela dizia ou queria. O Presidente fala, articula e diz o que se pode compreender. No entanto,os obreiros de suas programações, com os curriculum que ostentam não inspiram credibilidade. E assim, enquanto Dilma falava e nada leva a lugar algum, agora não se sai do mesmo lugar,apesar do palavreado gentil, diplomático.

Guardando as proporções, é como que num bloco cirúrgico, com todos os equipamentos e medicamentos, a mão de obra entra para atuar sem luva e com a capa sem estar esterilizada.

Presidente Temer, diplomacia é muito legal e deve ser praticada mas, o Brasil encontra-se respirando por aparelho e os 12 milhões de desempregados, não podem esperar que na sua equipe haja troca de farpas e inconsequências, pois foi por sucessivos desmandos que a Nação vive uma rescessão e grave situação. E não foi para isso que houve o impedimento.

Lúcio Reis

Em 20/11/2016

Belém do Pará. Brasil


 
Lúcio Reis Views: 241

Código do texto: ae990052172258874e045855e8260410                  Enviado por: Lúcio Reis em 20/11/2016

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Lúcio Reis
Belém, PA, Brasil


 Ver mais textos deste autor