A sociedade brasileira nesta data 16/11/2016, demonstrou seu contentamento e celebração com a prisão de mais dois ícones da corrupção nacional, ambos ex governadores do Estado do Rio de Janeiro e portanto, colaboradores, como muitos outros mais, para com seus atos enlamear o nome de nosso Brasil perante a comunidade internacional. Cairam Garotinho e Sérgio Cabral.


Após anos e anos, ou melhor décadas, em que a corrupção foi sendo enraizada como um dantesco câncer e, em todas as regiões deste País, nas mais variadas modalidades de crime, alcançamos o ápice do absurdo, do sem limite e maneiras de meter a mão no erário e, com a conta sempre sendo apresentada e paga pelos mais humildes, enquanto os canalhas comemoravam a desgraça dos mais necessitados em requintados jantares em hotéis e restaurantes de luxo em Paris ou em outros locais de expressão internacional.


Tripudiaram o quanto puderam. Enganaram 24 horas a cada dia. Corromperam e foram corrompidos com a mesma naturalidade com qie inspiram O2 e expiram CO2. Brincaram com a dignidade de cada cidadão honesto desta Nação. Mas os ventos, pelo que se nota, estão mudando as rotas.


Alguns já estão presos mas, muitos ainda estão livres e soltos. Mas seus processos tramitam e quem sabe, logo mais teremos explosão carcerária de colarinhos branco.


Porem, a mola propulsora da economia do mundo e da nossa também chama-se dinheiro e, os cofres das empreiteiras e construtoras, após as casas caírem estão esvaziando e estas para vê-los com dinheiro guardado e portanto, cheios, costuram suas delações – leniências – e por isso, ainda vamos celebrar a prisão de muitos endinheirados e que, ao invés de curtirem a terceira idade no aconchego do lar, desfrutando as traquinagens dos netos ou netas, vão mesmo é tomar banho de sol com hora limitada e ver a vida passar por entre grades de ferro, posto que o crime, não compensa e jamais compensará.


Por certo não vale a pena ser criminoso. Pois para que isso fosse verdadeiro, seria necessário que todos fossem corruptos e ladrões e, essa suposição nunca será uma realidade, um fato, posto que é impossível uma sociedade composta apenas de meliantes e, na admissibilidade dessa hipótese, haveria um processo de autodestruição sumaria, pois ninguem iria querer ficar com o menor quinhão.


O Brasil tem conserto e ainda haverá um monumental concerto, no qual o louvor será cantado em celebração aos bons costumes, a honra, a honestidade, a verdade, a seriedade, independente da idade do cidadão.


Óbvio, ainda haverá algum ladrão e corrupto mas, será numa quantidade ínfima, pois afinal o homem tem a sua fração do deslize. E assim, teremos razões para comemorar e sem guardanapo na cabeça.

Lúcio Reis

Em 17/11/2016

Belém,Pa-Brasil




 
Lúcio Reis Views: 219

Código do texto: e72f7c6aaa1fdfe5b3afa0149a3b44dc                  Enviado por: Lúcio Reis em 18/11/2016

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Lúcio Reis
Belém, PA, Brasil


 Ver mais textos deste autor