O sufixo ismo orienta para pelo menos meia dúzia de significado, tal como: esporte, sistema politico, fenómeno linguístico, ideologia, religião, doença e mais alguns.
Das opções acima pinço dois. O que se refere a sistema politico e a doença, para embasar o que pretendo dizer nesta crônica, a qual, foi provocada pela realidade comportamental de parcela considerável de brasileiros, com agravamento significativo nos últimos 13 anos e que, me levou a imaginar tratar-se de uma doença grave, mesmo não sendo eu nenhum especialista em qualquer área cientifica, se não vejamos.
No decorrer do século XX o Brasil foi acometido pelo impaludismo, doença também conhecida como malária, infecção causada por protozoário do gênero Plasmódium, transmitida por mosquito e que, sem dúvida provocou muitos prejuízos ao País, posto que, além de centenas de óbitos de trabalhadores, os custos hospitalares com internações, mão de obra inativa, foram sim, origem de danos e consequências perniciosas à economia brasileira, sem no entanto, leva-la a bancarrota.
Ainda no aspecto da doença, outras citações poderiam mencionar, tal como: bruxismo, alcoolismo, tabagismo. Mas, o cerne a que esta pretende se referir, junta o sistema politico e a doença e, em relação ao primeiro, falo do presidencialismo e quanto ao segundo do petismo.
Aliás, segundo o que a imprensa noticia, poder-se-ia acrescentar mais um item, o alcoolismo. Mas este, deixo sob o critério de quem vier me ler, se o considera ou não.
Ao longo de pouco mais de uma década, a presidência da República foi “objeto de cobiça” do PT, - fato natural e até mesmo saudável, tendo em vista que o pluripartidarismo aqui é uma realidade e a alternância no poder é saudável -, e nesse ínterim, reunindo a massa sob seu palanque politico, os inflamados discursos foram jogando no ar esse maligno vírus, quando atacava ferozmente outros nomes com assento nos poderes republicanos e, nesse estilo e modo de fazer politica, foi contaminando seus milhares de apreciadores os quais, a cada efusivo aplauso, iam sendo acometidos pelo mal, perdendo a capacidade do discernimento, e seguiram registrando em seus subconscientes, alguns mantras ditados reiteradamente, sendo o primeiro deles: a culpa é do FHC; depois o maligno foi o Eduardo Cunha e hoje o Juiz Sérgio Moro é a receita  maléfica para o petismo.
O que eles tem comum é a vermelhidão do mal, mas a face não cora, ante o fato nú e concreto do deslize ético e moral e, para se auto desculparem ou justificarem, declaram: todos agem ou agiram assim. Apesar de que no inicio, seriam o antídoto para toda a semvergonhice que também abalava a república.
Com a vermelhidão em seus poros, não há argumento, por mais convincente que seja, para que eles, pelo menos, parem para pensar numa exclamação ou interrogação.
Os efeitos secundários são também muito graves. Os tesoureiros e figuras exponências e outras do staff, inclusive presidentes da sigla, já foram ou estão condenados e presos. Mas nada abre-lhes a caixola. É como se tivesse sido hermeticamente fechada pela lavagem cerebral bem feita.
Recentemente as urnas escreveram ou melhor digitaram um castigo para ser feito em casa até 2018, copiado centenas de vezes e que diz: não devo enganar mais a sociedade – não devo mais meter-me em corrupção – não devo mais participar de lambanças – tenho que deixar de ser aloprado – não devo mais formar em quadrilhas de maracutaias.
Porém, a doença tem mais outro feito colateral, os antôlhos. Eles os colocam em suas cabeças e só olham para onde esta o barba, o sapo barbudo, o brahama, seu líder e que, já constituiu seu pé de meia, de seus filhos, se auto proclama o mais honesto e, enquanto isso, há milhões de desempregados batendo às portas do SINE, em busca do Seguro Desemprego ou de uma nova assinatura em sua CTPS.
Além de toda a destruição que essa doença já causou, a mais grave é a que quebrou a maior empresa do Brasil e levou de roldão a economia nacional.
E por fim, os doentes ficam tão obcecados que rompem amizades com os que não foram contaminados e apenas lhes fala o óbvio, a realidade, o que lhes ofende e então revidam agredindo.
Mas como todos os males uma hora cessa, o petismo também vai cessar, vai passar e todos ficarão sarados.

Lúcio Reis
Escritor-Contista e Poeta
Belém.Pa-Brasil em 04/11/2016.

 
Lúcio Reis Views: 327

Código do texto: 164db7a4d99baf6c2bb00db47bbc57ed                  Enviado por: Lúcio Reis em 04/11/2016

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Lúcio Reis
Belém, PA, Brasil


 Ver mais textos deste autor