O amigo do peito

Admiro-te como amigo,
Dentro do meu coração
Jamais morrerei contigo
Quero que viva a emoção.

O meu irmão velho e antigo,
Sinto-me a grande benção
Aperta-me a forte mão
Sempre vai estar comigo.

Serei teu peito amigável
Perco-me o teu sofrimento,
Serás meu mestre admirável.

Teus sonetos nunca culpam,
E as formas do sentimento
Os versos ninguém desculpam.

Autor: Lucas Munhoz (Poeta rapaz) - 22/10/2012

 
Lucas Munhoz Views: 1406

Código do texto: cf22417a1d23f20cfcbf8208a6fb037a                  Enviado por: Lucas Munhoz em 03/11/2012

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [1]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Lucas Munhoz
Indaiatuba, SP, Brasil


 Ver mais textos deste autor