TROVA EM GLOSA 66

Mote

Minha santa, minha santa

De ti não tiro o sentido,

Quem me dera possuir

A forma de teu vestido.

(Quadra popular)

 

GLOSA

Sempre meu amor eu te vejo,

Minha vontade se levanta,

Não me negues esse beijo,

Minha santa, minha santa!

 

Deste mal jamais me curo,

É esta a magia de Cupido,

Parece bruxedo, eu juro

De ti não tiro o sentido!

 

Digo, seja lá como for,

Nem que seja pra me iludir,

Esse grande cofre d’amor,

Quem me dera possuir!

 

Não é grande o que eu qu’ria,

Meu desejo é, comedido

Vê, gostava de ser um dia,

A forma de teu vestido!

 


 
Nelfoncar Views: 248

Código do texto: ede9f52abc49659fe03bc2ea69e9930a                  Enviado por: Nelfoncar em 29/08/2016

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Nelfoncar
amora Portugal, EX, Portugual


 Ver mais textos deste autor