TROVA GLOSADA 42 (De ESPANCA)

 

Mote

Que filtro embriagante

Me destes a beber,

Até m’esqueço de mim,

E não te posso esquecer!

 

(Quadra pouco conhecida de

Florbela Espanca)

 

GLOSA.

Isto nunca me aconteceu,

É mesmo d’um ser amante,

Tua ternura, te, digo eu

Que filtro embriagante

 

Foi algo, talvez misterioso,

Não consigo compreender,

Que liquido amoroso

Me destes a beber.

 

É o que nunca julguei,

É um mistério sem fim,

No dia que t’encontrei,

Até me esqueço de mim!

 

Lutei tudo e, não foi pouco,

Pra te amar e conhecer,

Já fiz tudo, talvez louco

E não te posso esquecer!

 


 
Nelfoncar Views: 240

Código do texto: 3eb058b9d814b1bcae2d71d29170ecc1                  Enviado por: Nelfoncar em 04/03/2016

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Nelfoncar
amora Portugal, EX, Portugual


 Ver mais textos deste autor