Moaxaha (em árabe literário) ou Zéjel (em árabe popular) – Composição poética medieval composta originalmente de um dístico como estribilho (markaz ou tagazol, o refrão) e uma outra estrofe formada por um trístico monorrimo (agsan, a mudança) e monóstico (simt, a volta)  que rima com o estribilho. Esse mesmo estribilho deve sempre anteceder as demais estrofes que, em número ilimitado compuserem o poema, assim desta forma: AA/bbba/AA/ccca/AA...

       Desvirtuado ao longo do tempo pelos seus aficionados usuários, fatalmente alguns autores admitem uma agsan (mudança) na forma tetrástica simples e até mesmo leonina, ou seja, com rima nos hemistíquios dos versos. Admitem, ainda, uma simt (volta) formada por dísticos e até trísticos.

       No que tange à metrificação, originalmente os versos seguem com o devido rigor os seguintes padrões: hexa (6), octo (4-8), deca (6-10 ou 4-8-10) ou dodecassílabo (alexandrinos grave, agudo, trimétrico ou tetrâmetro, esse último de minha concepção) de modo específico ou mesclado.

       Com adaptação ao nosso sistema métrico, podemos, também de forma específica ou mesclada, situar os versos do poema nas seguintes tonicidades: penta (5), hepta (7), enea (3-6-9) ou hendecassílabo (2-5-8-11 ou 5-11). Veja um exemplo de minha autoria:

 

               OBCECAÇÃO

(Zéjel ou Moaxaha hendecassílabo)

 

Unha e carne e lado a lado comumente,

a paixão doentia e o ódio seguem em frente!

 

Ah! traição que às cegas move o pensamento,

atração infiel que tolhe o sentimento

e acolhe o prazer lúdico do momento,

despertando o ciúme até então latente!

 

Unha e carne e lado a lado comumente,

a paixão doentia e o ódio seguem em frente!

 

Aniquilada, a alma procura refúgio

e a aura, em ânsia, logo sente o seu efúgio!

Mas o corpo infrene busca subterfúgio

para agir com toda a morbidez fremente!

 

Unha e carne e lado a lado comumente,

a paixão doentia e o ódio seguem em frente!

 

Dessa paixão, o ódio vem logo depois

para um contumaz cômpito sem fim, pois

só o verdadeiro amor separa os dois,

mesmo que tardio ou, quiçá, de repente!

 


 
Genilton Vaillant de Sá, IWA Views: 1918

Código do texto: 5ec9737ab948820eb12c4c324c906786                  Enviado por: Genilton Vaillant de Sá, IWA em 27/09/2012

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Genilton Vaillant de Sá, IWA
Vitória, ES, Brasil


 Ver mais textos deste autor