É um absurdo o que estamos fazendo com a natureza,
frontalmente agredida todos os dias pelo o homem.
Agora, "Ela" nos presenteia negativamente, 
com todas as dores guardadas ao longo de tanta destruição.
Será que esquecemos todos os flagelos que nos açoitam
todos os dias, a destruição  em massa de tudo que é vivo.
  Não sabemos ainda o que está por vir,
e aquilo que é ruim, ainda poderá ser pior ???
Ah, penso que esquecemos ....
Vivemos a fantasia do desmatamento,
a falta d´água, a crise energética, a fome, as doenças, 
e muitas coisas ainda que tememos e desconhecemos.
Onde está nossa sensibilidade para reverter todo o mal que
fazemos, e nos comprometer a cuidar
daquilo que é  mais precioso para nós,
nossa Mãe Terra.
Penso estar vivendo num inferno astral, 
ou sendo pessimista mesmo,
acho que estamos no final dos tempos,
ou literalmente no fim do mundo !
Hoje me surpreendi quando passava pela praça,
me deparei com o corte de  eucaliptos centenários,
meus olhos não entendiam, não acreditavam naquilo que estava vendo,
profunda mutilação nas árvores que ali estavam,
tão centenárias, tão altas, tão verdes, tão indefesas ....
Que crueldade, só mentes insanas poderiam mandar cortá-las !!!
Uma  cidade, com múltiplos problemas, onde poucas coisas se resolvem,
o olhar focado foi nas árvores,  em atitude leviana e brutal.
Porque temos que praticar o mal em algo indefeso e quieto,
que não nos ameaça, muito ao contrário, 
precisamos intensamente interagir, temos carência de árvores,
 de verde, de sombras,  de folhas,  de flores.
Temos que nos habituar a plantar, a preservar,
cultivar, acolher, deixar que nossos olhos passeiem pelo verde,
e não pela vastidão da destruição que assola o planeta.
Em tempos de mudanças, é necessário que façamos reflexão:
Árvores adultas, sombreiam o caminho, abrigam ninhos e várias
espécies de pássaros, que com seu canto matinal dão brilho
e graça nas manhãs quentes e ensolaradas de verão.
Um colírio para nossos olhos, um frescor para as pessoas que passam.
Agora o que vemos é a destruição tombada pelo chão,
pássaros perdidos e desorientados, a procura de ninhos e filhotes,
uma praça vazia e árida, onde as pessoas sensíveis perguntam  espantadas, porque ???
É preciso observar mais a natureza, tratá-la com mais respeito e carinho,
ter olhos de ver, ouvidos de ouvir, despertar a consciência para seus chamados,
entender suas súplicas e seus significados.
"Ela" é vital para nós, e quando se enfurece, somos impotentes  diante de sua força.
Como nós, "Ela" é viva,  sente dores, sofre, chora, e sangra.
E,  hoje eu tenho certeza,
os eucaliptos estão sangrando.
Meus pesâmes!


- Helena Huback -



 
Helena Huback Views: 767

Código do texto: 2047dd7477484d6bac29ceceb4fe66d5                  Enviado por: Helena Huback em 21/03/2018

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre a autora
Helena Huback
Nova Friburgo, RJ, Brasil


 Ver mais textos desta autora