Carta de Amor
Vera Pessoa
 
 
 
Meu amor estou muito alegre por ter recebido tua Carta de Amor.
Muito obrigada, você é mesmo meu homem anjo.
 

Sabe, fiquei em estado de êxtase ao escutar tua voz hoje bem cedinho,
sendo acordada por ti quando precisavas falar comigo antes de dar início
aos teus novos afazeres. Estou, também, sempre desejosa de ouvir tua voz.
 

Fico muito feliz que tenha dado tudo certo lá no encontro que tinhas.
Pedi muito a Deus por mais esta tua caminhada, e agora cá estou , uma vez mais,
colocando-me toda ouvidos para ti, sendo tua Amiga e amando-te.
 

Tu dizes que sou muito romântica e até ficas bem alegre quando te chamo pelo teu nome , ao invés de te chamar por ' meu amor ' e ' meu bem '; mas, o que realmente importa é que eu sempre estarei aqui a tua espera e isso não vai mudar nunca.
 
Esqueças das minhas palavras quando não te agradam, mas, nunca te esqueças que cada vez eu te recebo de braços abertos e com muito amor.
 

Não preciso repetir milhões de vezes que você é meu último
amor e que será o meu único homem, pois assim sempre fui com os
três homens, de  1800 a 1845, que passaram pela minha vida.
 

Também, não preciso voltar a te dizer que nunca deixarei de amar-te
e de te apoiar, haja o que houver, mesmo que nada dê certo entre nós.
 
Isto, porque antes de tudo fomos amigos e cúmplices, e não nos
conhecemos semana passada. Creio que já tenhas provas o
suficiente de que o que sinto não é efêmero.
 

Posso não te escrever poemas tão lindos quanto tu esperas, mas eu
simplesmente escrevo todas as horas sobre você - mesmo que seja
uma só linha- , desde que comecei a te amar; apesar de não ser uma poeta.
 
Penso não ser tão doce quanto tu esperavas, mas, por favor, lembra-te
que também nunca fui tão amarga quanto você merecia em alguns momentos.
 
Isto, porque sempre procurei entender teus atos, aceitar tuas prioridades e tuas
necessidades.
 
Aprendi a respeitar os teus sonhos, mesmo quando os mesmos te afastam de mim.
Aprendi, por ti, a sobreviver mesmo quando todas as minhas expectativas são frustradas.
Por ti eu aprendi que não importa o quanto eu mude minha programação, não poderei ficar
triste ou magoada quando souber que nada será como pensei.
 

Não, não sou romântica...
 
Apenas sou alguém que te ama e te espera, sofre e ainda assim sorri, somente
para não te deixar triste. Estou tentando brigar o mínimo possível contigo,
entendê-lo e dialogar, quando na verdade eu quero desistir.
 

Contigo estou a me purificar no cadinho e a aprender com o
poema árabe, 'Amor', que diz  :
 
' Quando o amor o chamar
Se guie
Embora seus caminhos sejam agrestes e escarpados
E quando ele vos envolver com suas asas
Cedei-lhe
Embora a espada oculta na sua plumagem possa feri-vos
E quando ele vos falar
Acreditai nele
Embora a sua voz possa despedaçar vossos sonhos como o vento devasta o jardim
Pois da mesma forma que o amor vos coroa, assim ele vos crucifica
E da mesma forma que contribui para o vosso crescimento
Trabalha para vossa poda
E da mesma forma que alcança vossa altura e acaricia vossos ramos mais tenros que se embalam ao sol
Assim também desce até vossas raízes e a sacode no seu apego à terra
Como feixes de trigo ele vos aperta junto ao seu coração
Ele vos debulha para expor a vossa nudez
Ele vos peneira para libertar-vos das palhas
Ele vos mói até extrema brancura
Ele vos amassa até que vos torneis maleáveis
Então ele vos leva ao fogo sagrado e vos transforma no pão místico do banquete divino
Todas essas coisas o amor operará em vos para que conheçais os segredos de vossos corações
E com esse conhecimento vos convertais no pão místico do banquete divino
Todavia se no vosso temor procurardes somente a paz do amor, o gozo do amor
Então seria melhor para vós que cobrísseis vossa nudez, abandonásseis a ira do amor
Para entrar num mundo sem estações onde rireis, mas não todos os vossos risos
E chorareis, mas não todas as vossas lágrimas
O amor nada dá, se não de si próprio
E nada recebe, se não de si próprio
O amor não possui nem se deixa possuir
Pois o amor basta-se a si mesmo
Quando um de vós ama, que não diga 'Deus está no meu coração'
Mas que diga antes 'Eu estou no coração de Deus'
E não imagineis que possais dirigir o curso do amor pois o amor se vos achar dignos
Determinará ele próprio vosso curso
O amor não tem outro desejo se não o de atingir a sua plenitude
Se contudo amardes e precisardes ter desejos
Sejam estes os vossos desejos
De vos diluirdes no amor e serdes como um riacho que canta sua melodia para a noite
De conhecerdes a dor de sentir ternura demasiada
De ficardes feridos por vossa própria compreensão do amor
E de sangrardes de boa vontade e com alegria
De acordardes na aurora com o coração alado e agradecerdes por um novo dia de amor
De descansardes ao meio-dia e meditardes sobre o êxtase do amor
De voltardes pra casa à noite com gratidão
E de adormecerdes com uma prece no coração para o bem-amado
E nos lábios uma canção de bem-aventurança .'
(
www.revistaliteris.com.br-ISSN 1983 7429)
 

Amor,quer saber?
Vamos, vamos sim, neste final de ano para Kashmir.
 
 

Vera Pessoa
São Paulo, 02.XII.2012

 
Respeite direitos autorais :
Lei Nº 9.610 de Fevereiro de 1998
 


 
Vera Pessoa Views: 1640

Código do texto: 0718cea73905f847ccb875a13eafe5a2                  Enviado por: Vera Pessoa em 05/12/2012

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre a autora
Vera Pessoa
São Paulo, SP, Brasil


 Ver mais textos desta autora