Não venhas a mim, não posso receber-te.
Não encha o ambiente com tua voz envolvente, terna, coerente.
Não invada meu espaço com teus passos, seguros,
ainda que imaturos.
Não me olhe com teus olhos brilhantes, apelantes...
Não me toque com tuas mãos ansiosas, desejosas, ardilosas.
Não me prenda em teu abraço, não me alcance com teus braços.
Não me faça prisioneira do teu sonho.
Coadjuvante do teu enredo.
Mesmo que meus olhos digam sim, que o meu corpo grite por ti.
Mesmo que minha boca, seca, não consiga repelir-te.
Mesmo que todo meu ser anele por ti.
Escute meu lamento em silencio.
E por favor, não venhas a mim.

 
Su Aquino Views: 1332

Código do texto: c0b07b7f9c09115c6e08e0d13820b071                  Enviado por: Su Aquino em 17/11/2012

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre a autora
Su Aquino
cuiabá, MT, Brasil


 Ver mais textos desta autora