A madrugada veio a pouco me fazer companhia. Me encontro aqui sentada diante de uma folha em branco.
Imagino-te tão longe, exausto e ansioso para retornar ao lar. Para um mundo que te aguarda.
Trago na minha mente palavras que minha boca não consegue pronunciar, embora tente, a razão escolhe outras palavras, muitas vezes sem nexo...
Muitas vezes no decorrer do dia paro e me pego tentando juntar as palavras.Ensaiando frases no pensamento e tentando ser coerente.Me engano na ilusão que no final do dia elas serão por ti ouvidas.
Quando ouço tua voz a coerência some e as palavras se escondem. Vem muitas outras que nada dizem.Confundem e me sinto perdida.
Anseio pelo momento em que ouvirei tua voz e acompanharei com os olhos teus passos entrando em casa, ao mesmo tempo temo este momento.
Quando meus olhos encontram os teus minha alma já está despida. Esta nudez me encanta e amedronta.
Nesse momento o pergaminho esta se desenrolando lentamente...
Sei que consegues sentir o sagrado e o profano.
Sagradas almas que sussurram...
Profanos corpos que suam...


http://youtu.be/ZemrndEq2H8

 
Su Aquino Views: 1435

Código do texto: 391068fa5ef772c68951fd5ac501751f                  Enviado por: Su Aquino em 17/11/2012

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [1]


 Escrever comentário

 
Sobre a autora
Su Aquino
cuiabá, MT, Brasil


 Ver mais textos desta autora