Quando me sinto com aquela vontade de escrever... Ligo a minha música preferida, harmoniosamente, silenciosamente... Sem o ruído do mundo e dos homens, e as palavras fluem como água cristalina na minha mente.... A gente, não sabe explicar como é viver e amar... Mas sente tão docemente... E os olhos se abrem com um sorriso tão aberto que já não fica perto... Vai, vai, vai e sai de mim e voa por aí... onde os amigos esperam por mim... E mesmo que assim, eu não saia fisicamente daqui... estou aí e em qualquer lugar, onde se quiser amar.... É preciso amar as palavras para que elas acariciem sem magoar. Abraço.


 
Angelino Pereira Views: 1779

Código do texto: 243b25bafdffcbe89dedfd9c5f5af9c0                  Enviado por: Angelino Pereira em 13/11/2012

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Angelino Pereira
Guimarães, EX, Portugal


 Ver mais textos deste autor