Sou o Lúcio Reis e, no decorrer desta missiva, você saberá mais detalhes quem sou eu.

Louvo, sem dúvida seu amor filial, pois se todos os bandidos do mundo não tivesse quem os amasse, muitos problemas de rebelião não existiriam, pois não haveria quem levasse a eles, serra, celulares, armas  e outros objetos com os quais mantem suas atividades criminosas e tentam escapar do cárcere e, em seu gesto ao escrever essa carta aberta aos brasileiros e portanto, a mim também, em tentar colocar na face e no caracter de José Genoino, seu pai, o que no fundo e pelo amor que sente por ele, é essa figura que você emoldura e portanto que assim ele efetivamente fosse como cidadão brasileiro da fração que cultiva o bem e o respeito a todos.

Sua carta em defesa de seu genitor é o atestado da imagem que ele gerou em seu subconsciente, através das informações que  lhe passou na versão dele mas que, ao longo dos anos, os atos de seu genitor contados pela historia contemporânea e pela realidade dos anos mais recentes foram se contradizendo, posto que ao longo do tempo  que se passou até aqui, ele nada fez por merecer e ainda prossegue enganando e quem sabe, até traindo sua dedicação e respeito pelo ídolo que você criou, mesmo no fundo, sabendo, sê-lo de pano.

Pelo que escreveu, você não é analfabeta e com certeza, ficou diferenciada das milhares de crianças que até hoje, lá no nordeste de onde seu pai saiu, ainda padecem de sede e da ausência de oportunidade de educação digna e que as tornem realmente cidadãos e cidadãs úteis a sociedade e que tenham a liberdade de se sustentarem por si próprios.

Mirna Genoino, nas décadas de 60, 70 e 80 e que inserem fatos históricos ocorridos aqui na região norte e que foram intitulados guerrilha do Araguaia, seu pai foi participe dela como guerrilheiro e quem sabe você só conheça a versão dele e daqueles que com ele tentaram pelas armas subverter a ordem, a liberdade do povo brasileiro, não com o emprego do voto mas com arma em punho e sem dar ao cidadão o direito de opção da escolha. A justificativa também é que os militares no poder deram um golpe de estado e atropelaram o estado e suas  instituições legais.   

Mas, não é e nem foi bem assim. Havia e há uma Constituição no Brasil e nela as forças armadas são sua guardiã e defensoras da integridade dos cidadãos  que constituem a Nação Brasileira e das instituições que lhe dá o statu a forma de estado.

As forças do Brasil, não saíram dos quartéis, simplesmente para evitar a marcha de Genoino e seus pares com o intuito de rasgar a Carta Magna. Foi o povo que rogou em via pública que a baioneta detivesse a fúria e contivesse os arrombadores dos dispositivos legais, a soberania e principalmente a família nacional verde e amarela.

Hoje a realidade mostra que seu pai e alguns pares dele, não prestaram para o Brasil à época do governo dos militares e também não serviram a quando de governos civis, posto que lá atras, usaram armas para balburdia e confusão e hoje a cadeira e a caneta no poder para a corrupção.

O que seu pai e seus companheiros guerrilheiros pretendiam, era transformar nosso País num satélite da União Soviética e coloca-lo na mesma condição da Ilha de Fidel, implantando aqui, portanto uma ditadura, que aí sim, o povo saberia efetivamente o que é esse regime, pois mesmo tomando ciência do que há em Cuba, jamais sentiu na pele o que é e como é lá.

Para financiar esse projeto, o que planejaram e executaram? Assaltos, sequestros com emprego de arma de fogo pesada e fuzilando inocentes que foram ao lugar certo – agência bancária fazer alguma movimentação – mas na hora errada, ou seja, quando terroristas, comparsas de seu pai assaltavam o estabelecimento de crédito para capitalizar o bando que se instalaria aqui no norte e na fuga pais de família ficaram na linha de fogo entre a policia e os bandidos e, prematuramente subiram.

Aliás, não lhe parece haver alguma semelhança hoje com tanta onda de explosão de caixas eletrônicos com banana de dinamite, com os assaltos havidos la atrás, inclusive na casa do Ademar de Barros, quando milhões foram roubados?

Mimi, como carinhosamente ele lhe trata, seu pai veio do sertão do Ceará e por certo conheceu e conhece a miséria que aflige aquela gente humilde e sofrida e isto desde  a década de 60 e portanto há mais, aliás muito mais, de meio século, Aliás, não apenas seu pai mas também, o “doutor honoris causa” e amicíssimo dele o Lulla, sabem mais do que eu o inferno que é aquilo lá.

Cara Miruna, seu pai como deputado e o grande amigo dele, cercado de ministros com origem e histórico idêntico ao de José Genoino, como a atual Presidente, portanto pertencentes a dois poderes constituídos da República Federativa do Brasil, estiveram no poder com a administração do PT sob a batuta deles durante oito anos, dois mandatos do metalúrgico e mais dois anos com a Dilma. Não lhe parece que, se ao invés de terem roubado os milhões que roubaram do erário e portanto dinheiro do povo, inclusive da gente humilde do nordeste, e tivessem aplicado, investido em solução definitiva contra a seca, hoje você teria razão de sobra para uma carta com esse teor e ao invés de ser você, seria o povo da caatinga e do mandacaru e os brasileiros de bem que estariam louvando e agradecendo ao seu pai e aos companheiros dele. Mas não! Para ratificar que eram bandidos e assaltantes do dinheiro dos impostos do cidadão, seu tio protagonizou uma das cenas mais degradantes do caracter humano bandido travestido de político escondendo produto de roubo na cueca. É bem verdade, em Brasília isso se tornou marca registrado dos delinquentes no poder, pois a sociedade toda viu dinheiro sendo escondido em meias, bolsas, paletos e etc...Ou seja, nãohavia preocupação nenhuma com a gente humilde de face enrugada pelo escaldante sol e solo esturricado, pois meliantes não tem pena e não livra a cara de ninguém e, para ratificar que a má conduta era normal, até o Lulinha virou magnata de milhões da noite para o dia ou vice versa e, ainda teve o aprove-se do pai. Quando a imprensa noticiou, ofenderam-se, assim como agora você se sente agredida mas, a justiça não lhes deu ganho de causa e assim ratificou a maracutaia e tramoias que catapultaram o filho do expresidente a um bem sucedido homem de negocios.

A realidade é que, a quadrilha acreditou piamente na impunidade. Não fosse o acidente de percurso chamado Roberto Jefferson, sabe-se lá como estaríamos agora, pois não se esqueça que o coitadinho de seu pai, não tem aposentadoria pelo INSS e assim, não passou a sofrer o desconto em seu ganho mensal, após décadas de trabalho e, para bancar os absurdos gastos do congresso, inclusive com a aposentadoria de seu querido genitor, os velhinhos aposentados(as) e as pensionistas do Instituto, voltaram a sofrer desconto em seu ganhos e com a aprovação de seu pai também. Não lhe parece uma incoerência entre o fato e o que ele lhe disse querer melhorar a vida das pessoas.

O que de verdade eles não contaram é que no caminho tinha uma pedra preciosa saída das Minas Gerais, de onde eu também vim e que, mesmo ele sendo pobre, optou por estudar e pegando como arma a caneta e o lápis, matou sua sede de conhecimento enfiando a cara nos livros e tornando-se Ministro do STF e que hoje é orgulho para a Nação Brasileira do bem. Acho que já deve ter visto as manifestações nas redes sociais via internet.

Seu pai e todos que com ele, pegaram em armas, tiveram a chance de efetivamente produzir em prol de toda a sociedade, através de ideias e a caneta na mão. Mas não, optaram pelo projeto de governo de se perpetuarem no poder, contraditoriamente aos princípios da democracia que diz implicitamente que a mesma será mais forte quanto mais alternância no poder houver, pois assim novas ideias somarão na construção. Ou seja, eles são democratas de araque, ou como se diz vulgarmente, são democratas do paraguaia, onde produtos são falsificados.

Negar, jogar  pedra no Judiciário é o” jus esperneandi” que a democracia faculta, diferentemente  do que aplica em seu país o amigo de seu pai, do Lula, do Dirceu, da Dilma e etc...o Fidel e o Raul Castro, quando quem protestar, preso vai ficar.

Sou parte de uma prole de sete filhos, de pai funcionário público e mãe que em casa atuava para nos criar, como cozinheira e lavadeira de roupa nos intervalos para descansar. Meu pai entrou no órgão publico no inicio da década de 50 e pelo e no  mesmo órgão, após cumprir todo o tempo de serviço necessário para aposentadoria, tendo feito jus a duas licenças premio, pois atuação exemplar, foi aposentado e com seu trabalho honesto e sem tirar nenhum  tostão de ninguém, cumpriu sua missão aqui na terra e agora juntamente com minha mãe, em algum lugar de sossego devem estar, pois não tinham e fizeram qualquer ato que desabonasse a conduta deles. Portam, portanto, certificação de país honrados e dedicados. Por isso até e também, em homenagem a eles, tomei a presente iniciativa.

O povo brasileiro atravessa um estágio de total desrespeito as leis e a itens de higiene. Ninguem respeita idoso e nem criança, assaltos ocorrem em volume assustador, sinais de trânsito são avançados, motoristas embriagados matam estupidamente. Esse efeito Miruna, pode ser reflexo dos desmandos e atropelos cometidos por seu pai e comparsas no exercício do poder e representação popular. Ou seja deram o mau exemplo e assim a sociedade se acha no direito também de descumprir o que a lei define, pois quem as faz, não cumpre.

Não sei se os netos que se refere, são seus filhos. Mas, de uma realidade podemos afirmar! Com a condenação de seu pai e dos que com ele enveradaram pela senda do crime que levou a Ação Penal 470, possivelmente o Brasil retome a estrada da ética, da decência, da moralidade e acima de tudo da honestidade nos poderes republicanos e quem sabe, no futuro os netos do Genoino, já possam morar num País com mais igualdade, mais oportunidade para muitos e principalmente que aquela gente humilde do nordeste, possa efetiva e concretamente ver correr de suas torneiras água que lhe tire da face as profundas rugas da aridez, molhe o solo que lhes dará o alimento e não mais necessitem acreditar em falsos profetas e salvadores da pátria.

Que outras famílias deste País continental, não precisem continuar atadas aos cabrestos das bolsas assistenciais e assim tenham, condições de educarem suas proles, alimentarem seus estomagos e todos possam ter o discernimento de escolher seu representante livremente sem o pesadelo de ver o beneficio social ser-lhe cortado, posto que doado por quem se encontrar na administração da Nação.

E então, poder-se-ia dizer que o crime de seu pai e dos parceiros dele não foi em vão, pois com a condenação deles, inaugurou-se ou descobrimos novamente a Terra de Santa Cruz, onde se plantando tudo dá.

Por isso, por fim a condenação dessa quadrilha, só pode ser razão de satisfação para quem efetivamente ama esta Pátria com o  coração.

 

Lúcio Reis

 

 
Lúcio Reis Views: 4474

Código do texto: 5329a96731889efab8db9ade04f6bdb0                  Enviado por: Lúcio Reis em 18/10/2012

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [2]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Lúcio Reis
Belém, PA, Brasil


 Ver mais textos deste autor