“Quem dera se ela pudesse ser ditadora”.
A sentença gramatical acima essa minha amiga petista cunha num comentário postado aqui no facebook ante uma postagem compartilhada que fiz e, o “se ela” a que se refere é a Presidente Dilma e atual do Brasil, recém re eleita.
Reitero que me entendo liberal democrata e assim, simples e naturalmente ignoraria o que escreve minha amiga. Aliás, já houve em outra situação e, com outros contatos que saíram da linha do debate adulto, do dialogo racional e resvalaram para o campo pessoal e das ofensas por meio de coice e assim, simples os excluiu, pois acredito que o homem é o animal mais socializável que há e no dialogar com respeito à objetivar a construção nacional e com seriedade é o caminho adequado e assim as patadas não valem e nem as aceito, posto que não sou e jamais fui dono de estrebaria.
Já disse e aqui reitero, não sou afiliado a nenhuma sigla partidária e até aqui, com mais de 65 anos de idade, cheguei as minhas custas, com a minha caminhada e mui especialmente sob a proteção e guiado por Deus, pois em muitos momentos as dificuldades foram enormes.
Logo, não tenho pretensões eletivas via urna e tenho em mente a fazer o que me for possível fazer agora, para cooperar no deixar um Brasil melhor para o amanhã e no qual meus descendentes e de todos nós, possam dispor de uma Pátria séria, honesta e com o mínimo de desigualdade social.
Minha amiga a exemplo dos demais seguidores do Lula, da Dilma e seus pares, tem na ponta da língua, o mantra, a ladainha em comum e estão sempre o cantando: no tempo do FHC era asssim
No tempo do FHC foi assim e esse mantra, se refere aos desmandos e atos de corrupção havidos e que, sem dúvida houve e que, em suas cabeças funciona como que se um erro justificasse um outro pior ou que se nivelaram por baixo, porque no governo FHC houve sujeira.
Não sou psicólogo mas, como é tão comum os petistas buscarem ou recorrerem a era do FHC que, se pode concluir que no fundo o maior desejo deles é que o Lula fosse, aos seus oito anos de mandato, um FHC do petismo e assim, a rigor ou a principio, são admiradores ou nutrem uma ponta de ciúme ou até mesmo de inveja do FHC. Mas como ressalvei no inicio desta carta, não sou psicólogo e nem sociólogo.E jamais fui eleitor do FHC. 
E não é nada de absurdo lembrar que o Lula deu continuidade a muitos programas planejados e implementados pelo governo do Fernando Henrique.
Somos um País rico e nosso território é abençoado mas, como os administradores que até aqui sentaram na cadeira presidencial do poder e que, paralelamente atuaram ao lado de um,legislativo desacreditado e que, só olha para o seu umbigo e adeptos de São Francisco de Assis, aquele do que é dando que se recebe – eles dão corrupção e nos recebemos atraso -, marcamos passo ou nos locomovemos muito lentamente, mesmo a despeito de nossos 515 anos e, na outra face, os representantes do povo estão milionários e o povo humilde e, até quem sabe quantos amigos,parentes e conhecidos de minha amiga, eleitores do PT, vivam em condições indignas ou até mesmo sub humanas para suas realidades como participes de uma sociedade civilizada do século XXI e, quantas centenas já passaram pela sala e sentaram a frente de minha amiga a caminho de um xadrez, tendo em vista a falta de oportunidade para ter um trabalho e um ganho honesto e condizente e para o qual alcançar poderiam ter obtido uma boa e de qualidade educação lhe teria proporcionado outro tipo de vida e não a da senda do crime.
Minha amiga, o partido e os políticos que você tanto aplaude se apresentavam como o protótipo da lisura e da idoneidade e assim o antídoto a toda sem vergonhice explicita que havia e era e é comum nos poderes públicos e, o seu ídolo Lula, com o microfone na mão em palanque antes de subir a rampa em Brasilia, jogava pedradas e das grandes no Sarney, na Roseanne Sarney, no Jader, no Collor e em todos que havia um carimbo de lama política.
Creio que já tenha assistido esses clips que circulam por aqui mas, se não viu, compreendo. Seu labor não lhe deixa muito tempo para ficar olhando esses tristes, absurdos ou indecentes discursos de enganação e construção histórica do líder político de seu PT mas, como sou aposentado, tenho tempo de ver, informar-me, discernir e concluir que: cidadão de bem é cidadão de bem! E que bandido sem caracter, dissimulado, contraditório e enganador é o que há de pior para o progresso de uma Nação mas, em compensação é o tempero ideal para o prosperar da corrupção e da ladroagem.
Para não me alongar mais ainda, pois poderia até compor um livro mas, vou relembrar o que a história recente, bem recente, conta e cujo primeiro capitulo se deu com o Waldomiro Diniz, com aquele troco ou gorjeta de três mil reais na Caixa Economica Federal e que desembocou no mensalão que, mesmo a despeito da cúpula do PT ter sido julgada, condenada e transitado em julgado, vocês teimam tratar-se de um julgamento político, como que se o dinheiro desviado não fosse do povo e, não obstante o tramitar da AP 470, os homens brilhantes do PT e seus representantes na estatal, furaram o casco da Petrobrás com suas afiadas picaretas da corrupção e com as talhadeiras do superfaturamento e eis aí a situação da maior empresa do Brasil e o nome sujo de nossa Terra na fora.
Mas, novamente o seu  lider Lula, já ensaia o velho mantra de ação politica, para proporcionar outra lavagem cerebral em quem quer se deixar enganar.
Não há portanto, outra conclusão: o PT é muito grande, aliás, enorme e tem um diferenciado now how, o de quebrar e destruir reputações, o que é grande assim como o é nosso País e, se rapidinho não sair das mãos do petismo vai ser quebrado, ou se já não está transformado em nacos, escangalhado e todo esse resultado o PT conseguiu sem ter ainda implantado a ditadura que pretende e, como você conclama e que inicialmente mencionei.
Diz o dito popular: diz-me com quem andas que te direi quem és. Lula, Dilma, José Dirceu, Genoino, Delubio e outros mais que você sabe, andaram e estiveram muitro com Fidel e Raul Castro, Hugo Chaves e outras pestes, tal a qual a da política contemporânea mundo afora encerra e que são como nuvens de gafanhotos.
Mas, respeito sua escolha. Pois como disse também, entendo-me liberal democrata e eis aí os meus argumentos para divergir de seus posicionamentos.
Lúcio Reis
09/02/15

 
Lúcio Reis Views: 699

Código do texto: a27cc50a0ba2b680da5854a202556fa9                  Enviado por: Lúcio Reis em 09/02/2015

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Lúcio Reis
Belém, PA, Brasil


 Ver mais textos deste autor