Um dia encontrei alguém muito especial que transformou a minha vida, me ensinou a ser uma pessoa melhor do que sou...
    No início não entendia qual era o propósito de tudo isso, gostar de alguém mais do que eu mesmo, viver em um mundo imaginário, esperando todos os dias uma pessoa que não iria me ver...
    Era como sentar na frente da casa e esperar alguém chegar para te fazer companhia no fim do dia, porém, essa pessoa nunca chegava e era uma frustação diária, o tempo passava, a solidão aumentava, o coração morria a cada noite.
    A única coisa que pensava era em de alguma forma fazer o outro feliz, mesmo sendo como algo completamente impossível de se realizar, mas, não perdia a esperança, nem a vontade de conseguir tal ação.
    Os dias passavam, mas, a vontade só aumentava, como aumentava a angustia, de dissolver qualquer vinculo afetivo para deixar vivo apenas o sentimento que me movia, um sentimento intenso, de cumplicidade, de companheirismo, de saudade, de dedicação, de felicidade.
    O meu corpo já não era o mesmo e as decepções, frustações, angustias, desejos, foram-me adoecendo, e aquele sentimento de amor era o que fazia a dor ser mais forte no meu peito e meu corpo mais fraco, fui caindo na decadência da razão e enxergando que o que sentia não dependia apenas de mim, mas do outro que também tinha seus desejos, suas frustações, suas angustias, seus sonhos, e que talvez eu não fizesse parte deles.
    Um dia ainda meio adoentado, percebi que estava deixando que os meus próprios sentimentos me maltratassem psicologicamente, e que esse amor que sentia, deixasse os efeitos colaterais da não-consumação serem espalhados pelo meu corpo, deixando-me fraco, preocupado, sofrido. Até que um dia decidi continuá-la amando de forma mais perfeita, como se amam as pessoas que não fazem parte das nossas vidas, mas, que são as nossas vidas... Por isso, tenho certeza que sempre te amei e faz parte da minha essência te amar até o fim...



 
Rogildo de Oliveira Views: 1885

Código do texto: ec9fd8f1f6ef84640ab2418494253774                  Enviado por: Rogildo de Oliveira em 11/02/2013

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Rogildo de Oliveira
Ibirataia, BA, Brasil


 Ver mais textos deste autor