TROVA EM GLOSA 123

Mote

Estou egro, sou dos velhos,

Já com “taras” e casmurro,

Há anos aflito dos joelhos,

Co’a mania de poeta burro!

 

(Quadra de minha autoria)

 

Glosa

Imaginei que tinha talento,

Debrucei-me nos evangelhos,

Hoje, tristemente lamento,

Estou egro, sou um dos velhos!

 

Adormeço no computador,

Pra onde a tristeza empurro,

A bílis rebenta de mau humor,

Já com “taras” de casmurro!

 

Avalio fundo o meu estado,

Por vezes co’os olhos vermelhos,

Vejo bem estou condenado,

Há anos aflitos dos joelhos!

 

Compensa uma coisa boa,

Tenho algum alor, empurro

O que valho como pessoa,

Co’a mania de poeta, burro!


 
Nelfoncar Views: 247

Código do texto: 484b33d769a641ee745b5a487285cfd9                  Enviado por: Nelfoncar em 17/10/2016

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Nelfoncar
amora Portugal, EX, Portugual


 Ver mais textos deste autor