TROVAS NOVAS 107

 

Tu és, sem tirar nem pôr,

O remédio pra minha cura,

Nas grandes doenças d’amor,

Teus mimos são coisa segura!

 

Quem dos homens mal fala,

Deve bem isto considerar,

Nem tudo que ruge estala,

E quem desdenha quer comprar!

 

Há duas coisa no mundo,

Que não osso dispensar,

Minha mãe seu amor profundo,

E ideias pra me orientar!

 

Entreguei a Deus a vida,

Como dever de todos cristãos,

Estava falhada e perdida,

Melhor é estar em  suas mãos!

 

Se queres noiva encontrar,

Que te dê pouco trabalho,

Veste bem, mesmo sem pagar

E no bolso muito cascalho!

 

Pra subir tens que descer,

Pra amar tens que fugir,

Pra ganhar tens que perder,

Pra chorar tens que rir!

 

Tu és, sem tirar nem pôr,

Um anjinho vindo dos céus,

Pra minha vida compor,

Mormente todos sonhos meus!

 

Ó Se eu abelha fosse,

Eis a minha ânsia louca,

Ia sugar todo doce

Da tua amorosa boca!

 

Tenho força e nada serve,

Vejam isto que me aconteceu,

Quente por um amor que ferve,

Fiquei inerte sem me mexer!

 

Muita gente passa a vida,

Embalado nesta esp’rança,

Um naco de sorte apetecida,

Que anime a sua confiança!

 

É um sonho já com raízes,

Sempre sonhando o incerto,

E os dias lindo felizes,

Só os vê em sonhos, perto!


 
Nelfoncar Views: 372

Código do texto: aab64dae37c361dbcd0ed8f20c3960f5                  Enviado por: Nelfoncar em 04/03/2016

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Nelfoncar
amora Portugal, EX, Portugual


 Ver mais textos deste autor