NOVAS TROVAS 105 

Não diga que não me queres,

Mas enfim que não me ouças,

DI-lo baixinho se o disseres,

só quando eu andar nas bouças!

 

Diz pensamento meu,

Diz.me, lá muito baixinho

-- Que foi que nos sucedeu

Pra assim ficar sozinho!

 

Ó vaidade das vaidades,

Pretender que meus desejo,

Muda em realidades,

Que aproveito os ensejos!

 

Ó que desgraça de vida,

Caí no fundo do poço,

E não encontro saída,

Estou d’amor em alvoroço!

 

Não cures um filho alheio,

Que não sabes como será,

Bem fazer ainda é asseio,

Não se sabe o que vem lá!

 

Depois de um que poupa,

Vem outro que tudo estraga,

E, quantas vezes, boa roupa,

Veste o que inda ao está paga!

 


 
Nelfoncar Views: 308

Código do texto: 4ce846bc3ac6f455aad23bde56aea092                  Enviado por: Nelfoncar em 03/02/2016

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Nelfoncar
amora Portugal, EX, Portugual


 Ver mais textos deste autor