NOVAS TROVAS 102

 

Sou aqui pobre que te seguiu,

No fim á tua porta bateu,

Que nem muito te pediu,

E que nem esmola te deu!

 

Aqui antes que desapareças,

Resignado e triste estou

espera que não t’esqueças.

Que sabes, quem muito t’amou!

 

Na academia do amor,

Andam lá muitos sábios,

Aprender com todo penhhor,

O feitiço dos teus lábios!

 

Vejo que tua mãe te ralhou,

Por um beijo bem com decência,

Tua mãe esqueceu….casou

Por causa d’essa inocência”

 

Quis chegar à ventura,

Por mãos pouco decente,

Só com bem isto procuro,

A ventura nasce co´ a gente!

 

Os velhos temem o futuro,

Abrigam-se no passado,

Pra encobrir o escuro,

Que vive a seu lado!

 

Afastado de toda solidão,

Cantava no hospício um louco,

Uns esta aqui por pouco,

Outros por pouco, não estão!

 

Fui do campo pra Leiria,

Mas voltei com prontidão,

Pois só acho companhia,

Na mais funda solidão!

 

 


 
Nelfoncar Views: 309

Código do texto: f56f20de74890433f72de5ff7e88268e                  Enviado por: Nelfoncar em 10/12/2015

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Nelfoncar
amora Portugal, EX, Portugual


 Ver mais textos deste autor