DESTACO A CAVEIRA DO BUÇACO

 

Há quem se lembre quem visitasse um monte no BUÇACO, havia à entrada uma caveira na parede onde por baixo se lia esta trova ( Eu li esta noticia numa revista de 1912)

Mas a noticia, remonta ao ano 1834, um poeta, pintor de COIMBRA (não fica longe do BUÇACO) o Sr. José

Bernardino Monteiro compôs com humor uma décima que acompanhava esta noticia….

Eu glosei com grande trabalho a dita trova. Por acaso é de 1912, ano que por ali passaram os bárbaros franceses, da revolução que saquearam todos castelos , museus, casas e palácios por onde passaram!

Eis a trova do Sr. José Bernardino:

 

Mote

Ó tu mortal que me vês,

Deflete bem como estou…

Eu já fui o que tu hoje és,

E tu serás o que eu sou!

Glosa

Um dia fatal, n’um momento,

A morte chega com morbidez;

Eu, nesta caveira represento,

Ó tu mortal que me vês…

 

…Assim de horror t’arrepias,

Foi bonito, mas tudo mudou,

Vê isto não são fantasias,

Reflete bem como estou…

 

Vê aqui  meus ossos mirrados,

Expostos âs normais marés,

Pensa como somos tratados,

Eu já fui o que tu hoje és…

 

Rico! Adónis com poder,

N’um castelo que o tempo levou,

Só resta a caveira pra se ver

E tu serás o que eu sou!

 


 
Nelfoncar Views: 546

Código do texto: 2d43e6a8b28b184863a2c9654081f62d                  Enviado por: Nelfoncar em 17/11/2015

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Nelfoncar
amora Portugal, EX, Portugual


 Ver mais textos deste autor