´TROVAS NOVAS 1

 

O vento leva a cantar,

As folhinhas da floresta,

Só não leva meu penar,

Que nunca fruiu uma festa!

 

Tive um livro d’amizades,

Ó, muito nosso conhecido,

Um dia houve tempestades,

Que levou o livro querido!

 

Tenho pena da gente gorda

Que sabe não pode comer,

Meu amor, gosta d’açorda,

De beijinhos pode morrer!

 

Na fonte das sete bicas,

Todos rapazes vão à esperar,

Pelo lindo cântaro da Micas,

Qual é o primeiro a ajudar!

 

Tive um livro de recordações,

Cheio de belos apontamentos

Amizades com grandes senões,

Amigos “bravos” por momentos!

 

Pergunte a quem sabe amar,

Qual é o máximo da dor,

É, passar anos e não chegar,

A gozar o intimo do amor!

 

Se eu ralhar co’o meu bem,

Não quero que ninguém acuda

A briga de namorados tem,

No amor muito pouca ajuda!

 

Depois de certa morena,

De deixar de me aparecer,

Sinto que o coração s’empena,

Que não sei que hei-de fazer!

 

Confessei-me ao senhora abade,

Mas claro, tudo não confessei,

Beijos d’amor não são maldade,

Descrevê-los ao cura não sei!

 

Bons exemplos são espelhos,

Que devemos seguir com juízo,

Mas há uns certos conselhos,

Que segui-los não é preciso!

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 
Nelfoncar Views: 447

Código do texto: 2b8941c329e3de02704f2a50647e0fdb                  Enviado por: Nelfoncar em 26/08/2015

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Nelfoncar
amora Portugal, EX, Portugual


 Ver mais textos deste autor