AS TROVAS E OS POETAS.

 

Os poetas, na medida em que também

 Querem tornar mais leve a vida das pessoas,

Ou desviam o olhar do trabalhoso

Presente ou ajudam o presente a adquirir

Cores novas, graças a uma luz vinda do passado...

NIETZSCHE

 

 

Poeta, bem culto que seja,

Eu sei qual é o seu amargor,

A quadra perfeita que deseja,

Jamais consegue compor!

 

A quadra é mais, que rosa,

Colhida com mimo de mel,

Sempre pequenina, airosa,

Cabe n’um canto de papel!

 

Tenha cuidado,-- ó vate

A quadra que faz veloz,

Pode cair no dislate,

A trova é um porta-voz!

 

Pequena-- Dizem “tarados”,

Não gosto! Não tem valor,

Nunca saberão— coitados,

Não sabem como têm valor!

 

A quadra não é pequena,

Tem saber, tem medida,

Que ao poeta ordena,

Dar-lhe graça, dar-lhe vida!

 

A quadra muito encerra,

Quando é feita com saber,

Que o povo na sua terra,

Dá-lhe voz como deve ser!

 

Esses curtos quatro versos,

Que fazem com sabedoria,

Devem ter sempre diversos

Sentidos de boa harmonia!

 

As festas das nossas aldeias,

A quadra popular se canta,

Com maliciosas ideias,

Que fazem “corar” a santa!

 

A pequena quadra expande

Coisas justas no seu recheio,

Que mostram como é grande

Entre o povo é galanteio!


 
Nelfoncar Views: 511

Código do texto: 6297874e762c2dd4b56f2d196b74f649                  Enviado por: Nelfoncar em 08/07/2015

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Nelfoncar
amora Portugal, EX, Portugual


 Ver mais textos deste autor