Composição poética criada pelo poeta itaperunense Celso Corrêa de Freitas, que vive atualmente em Praia Grande, SP.

O poema surgiu-lhe entre uma ação funcional e outra em seu serviço, conforme ele mesmo conta. Pronto o poema, seria preciso nominá-lo. Outra tarefa. Depois de pensar, combinar letras e formas, batizou-o de overtrip:

O = onze ;

ver = versos;

tri = trinta e duas palavras;

p = pensamento concreto.

Logo, o poema é constituído por uma estrofe de onze versos (livres ou não), pelos quais se distribuem 32 palavras da seguinte maneira: duas palavras nos versos  ímpares e qutro nos pares, ou quatro plalavras nos versos ímpares  (com excecão do 11º que também ficará com duas palavras) e duas, nos pares.

Pode abordar qualquer tema, dispensa rima, porém o título é obrigatório.

 

Referência

http://www.casadopoetapg.com.br/profile/CelsoCorreadeFreitas

 

 

 

Inconsciente

 

Ainda inconsciente,

A alma no escuro

Quer emergir.

Precisa cortar as amarras,

Ver luz,

Viver os carinhos translúcidos,

Conquistar sorrisos,

Vencer o tempo breve,

Ter coragem,

Desafiar a entrega redentora

Sem temores...

 

 

Imagem: Google

 

Respeite os direitos autorais.


 
Mardilê Friedrich Fabre Views: 1738

Código do texto: 1ed065f582b79f88a7456282d24c96e1                  Enviado por: Mardilê Friedrich Fabre em 15/11/2012

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre a autora
Mardilê Friedrich Fabre
São Leopoldo, RS, Brasil


 Ver mais textos desta autora