POETA NÃO MORRE
Monólogo
Edilson Menezes

(Edmen)

 

Caminhando tranquilo, em uma rua da cidade, alguém me pára dizendo: deixa eu lhe dar uma notícia triste_ sim, qual a notícia triste?_ O poeta morreu!_ Como o poeta morreu? Eu sempre soube que poeta não morre!_ Mas ele morreu, nos deixou, nunca mais leremos suas poesias.

_ Creio que você está enganado meu amigo! Ainda ontem eu li poesias dele, e o vi passeando nas suas letras e as letras o conduziam por entre as flores para a galáxia, onde se planta o amor._ Então é pra lá que ele foi? Sim! Ele já pegou o arado pra cultivar o solo da plantação._ Que lindo, não? Então um poeta não morre?_ Não meu amigo, um poeta não morre, ele nasce para ajudar na seara do Senhor.

_ Sabe, eu quero ser poeta também, eu não quero morrer, eu também quero nascer, pra ajudar na seara do Senhor.

_ É, você quer mesmo ser poeta? Então, primeiro cultive o amor.



 
Edmen Views: 2042

Código do texto: 30a43a9ce10626f97e6db181670bfa2f                  Enviado por: Edmen em 29/04/2013

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Edmen
Campinas, SP, Brasil


 Ver mais textos deste autor