Do raio da morte

com muita sorte

encanta a alma

seja no sul

seja no norte

as intempéries da vida

da morte maldita...

 

traiçoeira e bandida

como uma alma vendida

jogada a própria sorte

ali vagando sem destino

 

com todo aquele atino

sofrida caindo aos pedaços

mas quando vou repousar

 

no meu eterno lugar

assim espero

aquilo que quero

é morrer em paz

porque a vida é fugaz



 
Regina Mercia Sene Soares Views: 1687

Código do texto: 4e11a40226cca25f2bd9f83269639588                  Enviado por: Regina Mercia Sene Soares em 24/02/2013

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre a autora
Regina Mercia Sene Soares
Novo Horizonte, SP, Brasil


 Ver mais textos desta autora