Primeira professora, quanta saudade!
Eu menino, aluno do curso primário...
Dela, tudo pra mim era um relicário;
Encantava-me ver a facilidade
Com que ela ensinava à classe o abecedário
Eu vibrava neste convívio diário...
Conversar com ela era a felicidade!

Aluno deslumbrado, na tenra infância,
Tinha Dona Magali no coração.
Por ela, fiz da escola uma obrigação,
Via em seus gestos a força da elegância:
Sem dizer nada, dava-me educação,
Preparava-me pra ser um cidadão...
Com aulas de civismo, em exuberância!

A vida correu muito e o tempo passou...
Dona Magali, lembrança de alegria,
Que esteve em meu coração-menino um dia;
Paixão descabida que ela nem notou...
Num sábado, vi que o carteiro trazia
Para meus pais mensagem daquela "tia".
Convite, casamento... O aluno chorou...

Ógui Lourenço Mauri
Catanduva (SP), 20.09.2008
Compartilhe este texto com seus amigos    
  
  
  
Código do texto: 5b1d3cb68c55480863566409c60ee1a7
Enviado por: Ógui Lourenço Mauri em 16/11/2012
Copyright © 2017 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [1]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Ógui Lourenço Mauri
Catanduva, SP, Brasil


Ver mais textos deste autor