O Natal da minha infância,

O Natal do meu Menino,

Tão frágil, tão pequenino,

Santo Deus, a que distância!

 

E venceste e resististe

Como Filho que és do Pai!

Senhor Deus, acompanhai

Este mundo em que investiste.

 

Criador do Universo,

Da Eternidade sem fim,

Mandaste teu Filho afim

De excluir o controverso.

 

Nem mais lutas, nem mais guerra,

Nem palavras que magoem,

As gentes que se perdoem

E haja Paz em toda a Terra.

 

Sermos todos sempre unidos,

Nos amarmos como irmãos,

Filhos do Pai e cristãos

Solidários, destemidos.

 

O Nosso Jesus Menino,

Ano após ano a nascer,

Venha o mundo proteger

Pra todo o sempre, Divino.

 

Lisboa/Portugal


 
Maria da Fonseca Views: 1670

Código do texto: db88f617d26ec2de22cb1bf3ffea7263                  Enviado por: Maria da Fonseca em 05/12/2012

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre a autora
Maria da Fonseca
Lisboa, EX, Portugal


 Ver mais textos desta autora