AGRADEÇO A DEUS

Ary Franco (O Poeta Descalço)

 

         Oitentanos depois, contemplo minha foto com um ano de idade.

         Medito sobre o que fiz para merecer de Deus a dádiva de até aqui chegar incólume, com meus cinco sentidos ativos. Quantas vezes caí e levantei-me, quantas vezes amei e não fui amado, quantas vezes chorei e sorri, quantas vezes me ajudaram e ajudei, quantas vezes me deste Tua mão no haurir de minhas forças, quantas vezes? Se algo ELE destinou-me fazer, acho que o fiz ou ainda faço, caso contrário já teria sido chamado de volta à Sua casa.

         Devo muito a muitos, meus amados ascendentes e agora também aos queridos descendentes, amigos, mas acima de todos devo a Deus por ter orientado meus passos em caminho iluminado por Sua Divina Luz, livrando-me dos perigos iminentes, amparando-me nos desequilíbrios, desviando-me dos abismos, protegendo-me dos males que eventualmente me teriam sido acometidos.

         Deus, perdoou meus pecados, meus erros e minha ignorância e permitiu que a cada dia pudesse eu arrepender-me de meus pecados não mais os cometendo, que corrigisse meus erros procurando acertar e ensinou-me diminuindo minha ignorância.

         Obrigado meu Amado Deus por tudo que me deste e perdoe-me pelo tão pouco que Te dei. Estou pronto a fazer mais até o derradeiro passo que darei no final desta estrada que ora percorro.



 
Ary Franco (O Poeta Descalço) Views: 738

Código do texto: 573720e6a885871cf8220096556eae35                  Enviado por: Ary Franco (O Poeta Descalço) em 08/12/2014

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Ary Franco (O Poeta Descalço)
Miguel Pereira, RJ, Brasil


 Ver mais textos deste autor