APENAS UMA PRECE

Ary Franco (O Poeta Descalço)

 

Meu AMADO E ONIPOTENTE DEUS,

prostrado de joelhos, este teu humilde filho e servidor,

tem apenas um pedido a fazer:

AJUDE-ME A AJUDAR!

De resto, quero agradecer-Te as dádivas a mim concedidas

e pelas quais envido o maior de meu esforço para delas vir a ser merecedor.

Piedosamente Deixaste-me até aqui chegar, livrando-me de

todos os perigos e iluminando meu caminho com tua divina luz.

Quero fazer por onde poder auxiliar aqueles menos privilegiados

e que estejam ao alcance de minhas diminutas possibilidades.

Quero poder guiar o cego em seu caminhar, ajudando-o a

levantar-se em seus eventuais tropeços e prosseguir

em sua invisível estrada.

Quero levar ao privado da audição, a melodia angelical

de tua voz orientando seus passos imersos no silêncio

de sua sepulcral surdez.

Quero oferecer meu ombro para amparar o trôpego,

cansado de carregar o peso da cruz que foi por Ti

a ele destinada.

Quero forças para carregar em meus braços o paraplégico,

impossibilitado de caminhar em direção à Ti que o

aguarda de braços abertos no final da estrada.

Quero ter forças para que as súplicas de minhas orações

invadam o coração daquele que se afastou do caminho

do bem e da paz e que volte ao Teu rebanho,

 conforme Tua bendita vontade.

Quero fazer sorrir a criança que sofre precocemente

os cruéis malefícios de uma doença incurável, ou de

um desumano e abjeto abandono.

Quero transmitir fé ao descrente, àquele que insanamente

não aceita em seu profano ateísmo a Tua existência.

Quero fazer jus à minha permanência aqui, servindo-Te,

amando ao próximo como a mim mesmo!

É esse o mais precípuo de meus sentimentos.

 

AJUDA-ME DEUS A AJUDAR! É SÓ O QUE TE ROGO!  



 
Ary Franco (O Poeta Descalço) Views: 829

Código do texto: 869c8ac7cae505ed216d331466904b2c                  Enviado por: Ary Franco (O Poeta Descalço) em 17/08/2014

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Ary Franco (O Poeta Descalço)
Miguel Pereira, RJ, Brasil


 Ver mais textos deste autor