Prece ao anjo da guarda

 

Ó Santo Anjo do Senhor!

Tu que  és como a noite oculta

Acolhe com carinho minhas tristezas

E reveste na ânsia onde se tece de graças

Todo o espírito que enobrece e enleva meu ser sofrido

Diz-me quem sou eu nessa aventura louca do buscar

O que sou nessa tristeza imensa

Só com ela eu sei me achar...

Vem comigo meu anjo

E leva-me para bem longe

Onde eu nessa procura inútil

Não cruze os braços às esperanças,

Nem compare as pessoas e situações

Nem as coisas da vida.

Que eu não faça ceticismo daquilo que ouço;

Pois os sonhos que acariciei, nada mais é que a solidão

Que se deserta no meu próprio olhar

Vem põe a mão na minha fronte

E me ensina a distinguir a verdade que se oculta

Atrás das palavras...

Pois só de enganos tenho cingido o coração

Na esperança infinda,

De uma humanidade mais  justa, mais sensível, onde ser amigo

seja a verdadeira expressão da palavra.

Meu anjo peço-te que a minha confiança,

não turve a minha visão para perceber

as maldades, o ódio, a inveja que nutrem por mim.

Afasta-me de todos que me desejam o mal.

Proteja-me em todos os momentos da vida.

Amém!



 
Maria José Virginio Views: 1478

Código do texto: 6f1a5faff09fe655a9b8a8f7c14ef0ce                  Enviado por: Maria José Virginio em 24/08/2015

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre a autora
Maria José Virginio
Recife, PE, Brasil


 Ver mais textos desta autora