OS MEUS POEMAS…

(A alguém que elogiou e me pediu

Uns “versinhos”…)

À LAIA DE MADRIGAL

 

(POESIA ACRÓSTICA)

SENHORA:

Não sou poeta, talvez poetastro,

E nunca serei, conhecido astro,

Limito-me a poetar como sei,

Sempre elevar amor e Amizade,

Ouvindo no tal Parnaso a grei

Nota dez, será que é verdade?

 

Faço meus poemas com lisura,

Orgulho nato que em mim perdura,

No futuro, caso seja ‘inda vivo,

Talvez daqui a cinco dezenas d’anos,

Eu seja poeta bom selectivo,

São sim, Senhora Minha meus planos!

 

Contudo, agradeço grato a loa,

Amistosa, aos meus fracos poemas…

Repito, nunca serei um Pessoa,

Veja, são assim tão bons os temas?...

Aproveito os momentos risonhos,

Lançar logo no papel meus escritos,

Humilde sou nos remotos sonhos,

Os seus olhos, Senhora, é que são bonitos!

 

 

 

 

 

 

 


 
Nelfoncar Views: 653

Código do texto: 3c87a99597dccdff23bef965a9820f74                  Enviado por: Nelfoncar em 27/11/2014

Compartilhe este texto com seus amigos   
 
  
  

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

 
Ler Comentários [0]


 Escrever comentário

 
Sobre o autor
Nelfoncar
amora Portugal, EX, Portugual


 Ver mais textos deste autor